Primeiro satélite brasileiro é lançado ao espaço

O Amazônia 1 ajudará na observação e no monitoramento do desmatamento na região amazônica
-Publicidade-
O satélite foi desenvolvido no Inpe, em São José dos Campos, e levado em 22 de dezembro para a Índia para ser lançado
O satélite foi desenvolvido no Inpe, em São José dos Campos, e levado em 22 de dezembro para a Índia para ser lançado | Foto: Reprodução/YouTube/InpeMCT

O Amazônia 1, primeiro satélite completamente brasileiro, foi lançado ao espaço na madrugada deste domingo, 28. O lançamento ocorreu às 1h54, no Centro de Lançamento Sriharikota, na Índia. O satélite brasileiro foi ao espaço juntamente com os satélites Sindhu Netra (India), Nanoconnect-2 e SpaceBee-12 (ambos dos Estados Unidos). Cerca de 17 minutos após o lançamento do foguete PSLV-C51, o satélite se separou e fez suas primeiras atividades previstas, como a abertura do painel solar, a estabilização de sua orientação em relação à Terra, a verificação dos sistemas e a colocação do modo de prontidão.

Em vídeo gravado e divulgado após o lançamento, o diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Clezio de Nardin, declarou que a próxima etapa é iniciar a fase de testes para verificar o satélite e ajustes em sua câmera. O equipamento é o terceiro a formar o sistema Deter e auxiliará na observação e no monitoramento do desmatamento na região amazônica. Com 4 metros de comprimento e 640 quilos, o Amazônia 1 ficará a 752 quilômetros acima da superfície da Terra em uma órbita entre os polos norte e sul e capturará imagens em alta resolução. As fotos começarão a ser tiradas cinco dias após o satélite se estabilizar na órbita.

-Publicidade-

O satélite foi desenvolvido no Inpe, em São José dos Campos, e levado em 22 de dezembro para a Índia para ser lançado. Embarcaram em fevereiro para acompanhar o envio do satélite o diretor do Inpe e o Ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes. Do espaço, ele mandará o sinal para três estações de monitoramento no Brasil: uma em Cuiabá (MT), a outra em Alcântara (MA) e a terceira em Cachoeira Paulista (SP). Todos os movimentos do satélite serão coordenados de uma outra estação, que fica no Inpe. As informações são do G1.

Leia também: “Brasil e Israel estudam parceria para chegar à Lua”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 comentários

  1. Deu ruim para Anita, Taís Araújo e Marquezine. Sem falar para o Leonardo o Caprino e a Madonna, que não têm de meter o “bedelho” no terreiro dos outros sem entender coisissima nenhuma como os vampiros comunistas à lá Micron.

  2. Muito importante para o desenvolvimento tecnológico do país. Ademais, creio que o governo deveria utilizar tal evento para demonstrar suas ações promissoras no campo do controle e da fiscalização da preservação ambiental do bioma Amazônia. Talvez, com isso diminuiria o ruído caudado pela especulação estrangeria sobre a política ambiental brasileira.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.