Startup da Califórnia, nos EUA, cria táxi voador

Empresa planeja entrada em operação da aeronave em 2024
-Publicidade-
Joby Aviation: aeronave elétrica com capacidade para quatro passageiros e um piloto, que decola e pousa verticalmente
Joby Aviation: aeronave elétrica com capacidade para quatro passageiros e um piloto, que decola e pousa verticalmente | Foto: Divulgação/Joby Aircraft

A startup Joby Aviation é uma das várias empresas ao redor do mundo que investem em criar aviões elétricos que realizam decolagens e pousos verticalmente (em inglês, eVTOL, de electric vertical takeoff and landing). E, enquanto a corrida pelo eVTOL ainda estiver em seus estágios iniciais, ela poderá reivindicar a liderança do setor, diz uma reportagem da revista Exame.

A companhia trabalha há três anos com a FAA (agência do governo norte-americano que regula a aviação civil), um período muito mais longo que o das rivais, e recebeu, há pouco, um checklist que pode certificá-la para realizar o transporte de passageiros.

A startup também obteve mais investimentos, incluindo US$ 400 milhões da japonesa Toyota, que vai ajudá-la a fabricar os veículos. Além disso, assumiu a divisão de carros voadores da Uber, fechou um acordo recentemente para negociar aluguéis de longo prazo para pistas de pouso, com a Reef Technology Inc. e o Neighborhood Property Group. E, em breve, deve abrir o capital ao realizar uma fusão com uma empresa de aquisição de propósito especial (SPAC, sigla em inglês para caracterizar empresas em que os investidores confiam na expertise dos gestores para encontrar, adquirir e realizar o IPO de uma boa companhia), levantando mais US$ 1,6 bilhão, o que vai ajudar a financiar as operações da startup até 2024, quando pretende começar o serviço de transporte de passageiros.

-Publicidade-

A Força Aérea dos Estados Unidos também quer começar a testar pelo menos dez aeronaves da Joby até o ano que vem. Entre os benefícios listados pela Força Aérea estão o custo — os veículos da startup têm cerca de um quarto do custo de operação de helicópteros convencionais —, a ausência de emissões e a segurança: eles possuem seis hélices, duas das quais podem falhar sem comprometer o voo. Tais veículos devem ser utilizados para evacuações médicas, auxílio a desastres e crises humanitárias.

O protótipo da aeronave tem capacidade de transportar um piloto e até quatro pessoas por até 150 milhas, numa velocidade de 200 milhas por hora, e é bastante silencioso, de acordo com a companhia.

Assista a um voo do protótipo, divulgado pela empresa

Leia também: Startup dos ‘carros voadores’ firma parceria com empresa asiática”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site