YouTube adota medidas anti-pirataria

Plataforma atualiza política de privacidade e mira canais e conteúdos sobre "burlar" assinatura de TV, por exemplo
-Publicidade-
Contraventores digitais entram na mira do YouTube
Contraventores digitais entram na mira do YouTube | Foto: Canva

Tutoriais de como decodificar aparelhos para ter acesso a canais de TV por assinatura (mas sem pagar por isso). Canais divulgando como acompanhar gratuitamente filmes e séries disponíveis originalmente em alguma plataforma de streaming. Materiais que replicam abertamente na íntegra algum curso ou serviço. O que esses tipos de ações têm em comum? Eles passaram a entrar no radar do comando do YouTube. Na atualização de sua política de privacidade divulgada nesta semana, a rede social de vídeos mantida pelo Google alertou: vai atuar contra canais e conteúdos que incentivam práticas de “pirataria”.

Leia mais: “O que redatores, compositores e programadores têm em comum?”

Em documento entregue ao parlamento do Reino Unido, a direção do YouTube aproveitou para dar um exemplo do tipo de material que agora estão na mira. “Instruções de como evitar o pagamento de serviços ou conteúdo digital”, informou a empresa. Segundo o site Tecmundo, o gigante de tecnologia foi didático no material. Afinal, explicou aos congressistas britânicos que, com a mais nova política de uso, vídeos que incentivem os espectadores a usarem “apps, sites ou outras tecnologias da informação para conseguir acesso gratuito não autorizado” serão derrubados da rede. Na lista, são mencionados músicas, filmes e competições esportivas.

-Publicidade-

No Brasil

A ação anti-pirataria já rendeu condenação criminal de youtuber no Brasil. Em 2017, a Justiça atendeu aos argumentos da Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA) e considerou culpado o editor do canal Café Tecnológico. A entidade acionou o Poder Judiciário ao ver o espaço do YouTube ser mantido com dicas de como “piratear” o acesso a pacotes oferecidos por distribuidoras de televisão por assinatura.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Precisamos parar de reclamar e achar uma solução!
    Existe um substituto ao Youtube que não esteja aparelhado pela esquerda?
    Se não existe, temos que fazer. Simples assim!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.