EUA: rebanho leiteiro cresce e atinge maior patamar dos últimos 27 anos

Redução no abate de vacas contribuiu para resultado
-Publicidade-
No primeiro semestre, EUA tiveram acréscimo de 144 mil vacas ao rebanho | Foto: Parchen/Flickr
No primeiro semestre, EUA tiveram acréscimo de 144 mil vacas ao rebanho | Foto: Parchen/Flickr

Na última década, os Estados Unidos passaram por uma redução no número de fazendas dedicadas à produção de leite, mas isso não impediu que eles se recuperassem e atingissem o maior rebanho leiteiro dos últimos 27 anos. De acordo com o Departamento de Agricultura do país (USDA, na sigla em inglês), atualmente, há cerca de 9,5 milhões de vacas em território norte-americano. O último registro deste número tinha sido em 1994.

Leia mais: “Vendas no varejo dos Estados Unidos caem 1,1% em julho”

A desaceleração no abate de vacas, verificado desde julho do ano passado, é um dos fatores que permitiu a expansão. Só nos primeiros seis meses deste ano, houve o acréscimo de 144 mil cabeças. Para efeito de comparação, esse é aproximadamente o tamanho do atual rebanho de vacas leiteiras da Dakota do Sul — principal Estado produtor de leite do país. Dessa forma, o tamanho do rebanho individual médio nacional mudou de 129 vacas por fazenda em 2003 — ano que começou a redução no número de propriedades —, para cerca de 300 vacas hoje.

-Publicidade-

Leia também: “Brasil ultrapassa EUA em proporção de vacinados com ao menos uma dose”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro