Exportação brasileira de carne de frango deve avançar 3% em 2022

País seguirá como maior exportador global da proteína
-Publicidade-
Cortes de carne de frango embalados para exportação | Foto: Cristiano Estrela/Secom-SC
Cortes de carne de frango embalados para exportação | Foto: Cristiano Estrela/Secom-SC

Diante do aumento da demanda por carne de frango, a exportação da proteína brasileira deve crescer 3% no próximo ano. Os dados estão no novo relatório publicado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) — responsável pela projeção global da produção agropecuária.

Leia mais: Ministério da Agricultura rebate intenção do Senado de proibir exportação de animais vivos” 

O órgão estima que o país supere 4 milhões de toneladas. Neste ano, só no acumulado dos sete primeiros meses, 2,6 milhões de toneladas já foram enviadas ao exterior. “No geral, os embarques devem permanecer pouco acima de um quarto da produção total, com a China sendo o principal destino da carne de frango brasileira”, afirmou a representante do USDA, Camila Aquino. Ela acrescentou que os surtos de peste suína africana enfrentados pelo país asiático desde 2018 têm dado maior oportunidade às carnes brasileiras no mercado externo.

-Publicidade-

Leia também: “Japoneses produzem carne mais cara do mundo com impressora 3D”

Atualmente, o Brasil ocupa o posto de maior exportador mundial de carne de frango, tendo como principais clientes China, Arábia Saudita e Japão. Contudo, o país é o segundo maior produtor global da proteína, atrás apenas dos Estados Unidos.

 

 

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário

  1. A disparada nos preços das carnes fizeram com que o consumo desses alimentos no país caísse ao menor em 25 anos, de acordo com dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).O preço das carnes continua subindo e pesando no bolso dos brasileiros. Em 12 meses a alta acumulada já chega a 35,68%, segundo dados do IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor – Amplo 15), divulgados hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Então prezada jornalista, parabéns ao Agronegócio produzindo proteínas para o mundo comer enquanto os brasileiros comem macarrão instantâneo e salsicha. É sim o maior exportador. Que beleza. Estamos todos felizes. Gás a R$100,00 o botijão e cozinhando em fogão à lenha o brasileiro vai assistir pela televisão os estrangeiros comendo as carnes que não pode comprar.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro