Ai dos vencedores nas vitórias de Pirro

Multidões de derrotados nas eleições presidenciais acamparam em frente aos quartéis e pedem socorro aos militares
-Publicidade-
Manifestação contra o presidente eleito, Lula, no Parque Ibirapuera, em São Paulo - 15/11/2022 | Foto: Guilherme Lopes/Revista Oeste
Manifestação contra o presidente eleito, Lula, no Parque Ibirapuera, em São Paulo - 15/11/2022 | Foto: Guilherme Lopes/Revista Oeste

Algo de muito estranho está ocorrendo hoje no Brasil. Multidões de derrotados nas eleições presidenciais acamparam em frente aos quartéis e pedem socorro aos militares. E muitos estão lá com seus familiares.

Isso jamais aconteceu antes. É inédito também o desprezo de que vêm sendo vítimas pela grande mídia, a imprensa tradicional, que sequer noticia o que está ocorrendo. E quando o faz é para desprezar os manifestantes, em vez de trazer a público suas razões, expor prós e contras e deixar aos leitores, aos ouvintes e aos telespectadores o direito à opinião para tirar suas conclusões. Isto é tão importante nas democracias que a imprensa já foi designada como o quarto poder.
Que luzes podemos trazer para este cenário?

-Publicidade-

A História traz numerosos exemplos de guerras assustadoras, não para os derrotados, mas para os vencedores. Uma das mais célebres, que tornou famosa a expressão “Vitória de Pirro”, foi travada entre as tropas do citado comandante contra o exército romano.

O vitorioso fez duas observações importantes: não havia nenhum soldado romano ferido pelas costas no campo de batalha, e nas províncias vizinhas aumentava o número de voluntários para suprir as baixas havidas. Isto é, ninguém tinha batido em retirada e estavam chegando reforços para o vencido.

Pirro, o vencedor, enviou então um emissário a Roma. E este o deixou ainda mais apreensivo quando retornou dizendo que a proposta de paz não tinha sido aceita. Por quê? Os maiorais davam mostras de aceitar, mas o Senado romano, que lhe pareceu uma assembleia de reis, decidira o contrário: manter a guerra. E nas lutas seguintes os romanos saíram vitoriosos, sem nenhuma apreensão; ao contrário, entusiasmados com o apoio popular a seu exército.

Não se sabe qual será a proposta das lideranças brasileiras para resolver esse tema e esse problema, e nem se ela, uma vez formulada, será aceita por consenso, como houve em 1984 com as “diretas-já”. Não vieram as eleições diretas para presidente da República, mas foi interrompido ali o ciclo militar pós-64 mediante um candidato e um processo aceitos pelas partes em conflito.

O desfecho é conhecido de todos. Tancredo Neves foi eleito indiretamente por nossa assembleia de reis, a vitória não foi de Pirro, ninguém foi encontrado ferido pelas costas nos campos de batalha, o presidente eleito não pôde assumir, e o vice, o escritor José Sarney, tomou posse, fazendo valer a máxima da política nacional: no Brasil, vice assume.

Cuidado com os vices, pois. E no governo seguinte o vice voltou a assumir, depois do impeachment de Fernando Collor, aquele que enfim tinha sido eleito do modo preconizado pelo sonho frustrado das “diretas-já”. Aliás, o presidente Jair Bolsonaro também sucedeu a um vice que tinha assumido.

Para encerrar, lembremos Guimarães Rosa: “o real não está na saída nem na chegada: ele se dispõe para a gente é no meio da travessia”. Ou então, em português vulgar, aquilo que este professor e escritor leu um dia no balcão de um hotel de Buenos Aires ao fazer seu registro de chegada: “Quando o marido discute com a mulher, há pelo menos três pontos de vista em questão: o do marido; o da mulher; e o correto”.

Que venha a paz entre os brasileiros. Chega de guerra e de divisões internas. Isso não vai acabar bem.

Deonísio da Silva é professor e escritor, seus livros estão publicados no Brasil e em Portugal pela editora Almedina.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

37 comentários Ver comentários

  1. Eu penso que essas pessoas que estão se manifestando em frente aos quarteis, deveriam seguir as orientações do Lula (alguns meses atrás). Os deputados, senadores e ministros do STF/E, devem ter endereços. Então vamos para frente de suas casas e tirar sua tranquilidade e de seus familiares. Não é sugestão minha, é do Lula.

    1. Vc acabou de mostrar ao Universo de que lado está: O das trevas. Patriotas estão buscando o bem da nação e vc terezinha apoia o lado do mau.

  2. E os generais? Bem os generais ficam com cara de paisagem vendo o PT/STF escarrar na cabeça deles e das FAB. É a primeira vez que temos generais covardes frente à destruição do pais e do povo brasileiro.

  3. Excelente artigo! Compartilho uma hipótese sobre direita e esquerda:

    Eureka?

    Tenho uma hipótese de que a esquerda votante se trata de uma elite pequena que, com imprensa principalmente mas também com o stf, consegue trazer dezenas de milhões de votos de pessoas que não são de esquerda de verdade mas, sim, convencíveis e convencidas por uma imprensa de elite, o consórcio.

    Agora a eureka: eureka!

    A direita não. Ela é direita mesmo. Eureka então:

    Se a direita cancelar assinaturas e deixar de consumir produtos, serviços e serviços jornalísticos de esquerda, a contrapartida do outro lado não acontece. Eureka!

    Os votantes na esquerda foram convencidos superficialmente. Não são atuantes, são mais manobráveis que atuantes. Por isso não se manifestam. Nem online, nem nas ruas. São ocultos.

    A esquerda que se manifesta é a caviar direta, aquela que, realmente, come caviar. Uma minoria genuinamente interessada em manter privilégios. Esta minoria-caviar manobra dezenas de milhões de votantes. Por pouco tempo: em queda está essa massa manobrável e a imprensa que manobra, a tradicional.

    Portanto, novamente, concluo: eureka!

    A direita, de fato engajada por inteiro, já somando dezenas de milhões de pessoas, aumenta seu próprio crescimento, o crescimento das ideias de estado enxuto, voto distrital puro com recall, fim de juiz vitalício, etceteras, sabotando produtos, serviços e serviços jornalísticos de esquerda, sem temer a contrapartida do lado de lá. O engajamento cá, na direita, é muito mais poderoso do que lá, na esquerda.

    Assim, enxergo uma tendência de uma população brasileira com ideias mais à direita, cada vez mais rapidamente, com nossa própria ajuda.

    É apenas uma hipótese. Com um eureka, uma ideia possível. ☀️

  4. Em 279 antes de Cristo, Pirro – rei e general do Epiro – travou contra os romanos a Batalha de Ásculo e conquistou a vitória. Porém, com um elevado número de baixas de oficiais e soldados, obteve prejuízos irreparáveis para o seu exército, o que comprometeu a continuidade da guerra contra Roma. Ao observar os saldos da batalha, Pirro teria dito: “outra vitória como esta e estamos acabados”. O episódio ficou conhecido como a“Vitória de Pirro”,termo que hoje
    é utilizado, para descrever uma vitória com efeitos prejudiciais ao vencedor.

    Talvez seja necessário acrescentar esse texto para todos entenderem melhor o o Colunista nos quer dizer.
    A manutenção de uma vitória com tantas baixas como foi essa suspeita eleição do Ladrão MOR, pode sim representar um grande derrota mais adiante.
    Qual a proposta que as lideranças vão fazer é o que Deonísio nos faz pensar: ele não tem essa proposta. Ahhh e como seria bom se nós tivéssemos essa proposta de conciliação com a queda dos suspeitos vitoriosos e aí sim a chegada das pessoas de bem para nos comandar nos próximos e prósperos tempos.
    Deonisio e leitores somos todos brasileiros sim é vamos vibrar que esse dia chega.

  5. Em 279 antes de Cristo, Pirro – rei e general do Epiro – travou contra os romanos a Batalha de Ásculo e conquistou a vitória. Porém, com um elevado número de baixas de oficiais e soldados, obteve prejuízos irreparáveis para o seu exército, o que comprometeu a continuidade da guerra contra Roma. Ao observar os saldos da batalha, Pirro teria dito: “outra vitória como esta e estamos acabados”. O episódio ficou conhecido como a“Vitória de Pirro”,termo que hoje é utilizado, para descrever uma vitória com efeitos prejudiciais ao vencedor.

    Talvez isso permita todos entenderem o que Deonisio escreveu: nós não fomos derrotados. E sim que persistência da vitória como está colocada, pode sim representar nossa vitória mais adiante.
    A vitória do esquerdistas com tantas baixas, pode representar sim nossa vitória amanhã.
    E Deonisio diz exatamente isso, apenas não sabe a proposta das lideranças para resolver o conflito.
    E que bom seria se alguém de nós tivesse a proposta adequada.
    Mas vai haver sim o fim do conflito com a queda dos vitoriosos e chegada das forças do bem. E somos sim todos brasileiros.
    Palmas ao Deonisio.

  6. Por quantas vezes os patriotários vão esperar por mais 72 horas para ver se algo acontece?????
    Por favor, levem seus parcos débeis para casa!
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  7. “Que venha a paz entre os brasileiros. Chega de guerra e de divisões internas. Isso não vai acabar bem.”
    Prefiro a saída encontrada pelo senado romano:”manter a guerra.”

  8. Pirro, após vencer a batalha, anunciou a sua derrota iminente, foi um sábio à época

    Se as manifestações forem interrompidas, se a pressão não for mantida, todo este suor, esta indignação tera sido em vão.
    E tudo continuará a se deteriorar, portanto, estamos no meio do caminho.

  9. A transparência e a certeza que não houve fraudes nas eleições, seria mais do que suficientes para diminuir a polarização existe hoje no País.Bastaria a apresentação dos códigos fontes , e daí a comprovação de quem na VERDADE obteve mais votos.

  10. Repassando:
    ANOS EM 6
    Já parou para pensar???
    Em 2014, fomos às ruas para tentar derrubar a tresloucada Dilma… votando no Aécio. Sim, o Aécio, o cara que era chefe de quase todo o esquema de corrupção, traficante e drogado, mancomunado com o PT e com todo o lixo que nos governou durante os últimos 30 anos.
    Nós éramos completamente cegos e ignorantes na política. Éramos escravos do sistema e nem sabíamos que havia um sistema!
    Para nós, Olavo de Carvalho era um desconhecido; Enéas Carneiro era um louco; Roberto Campos era o “Bob Fields” e Bolsonaro era o deputado nervosinho.
    Confiávamos na Rede Globo e batíamos palmas para os artistas sem talento que compravam apartamento em Paris e Nova Iorque com nosso dinheiro.
    Em apenas 6 anos (6 e não 60):
    – Tiramos uma débil mental e ex-terrorista do poder
    – Prendemos um semianalfabeto corrupto e seu bando
    – Elegemos o primeiro Presidente de direita dos 500 anos do Brasil
    – Aprendemos muito mais de política do que de futebol
    – Esvaziamos as plateias de artistas comunistas e sem talento
    – Paulo Guedes foi eleito o melhor Ministro da Fazenda do mundo de 2019
    – Demos uma banana para Cuba e Venezuela e nos aliamos a EUA e Israel
    – Quebramos a espinha dorsal de um sistema de ensino que criava zumbis esquerdistas
    – Boicotamos uma das mais influentes emissoras de TV do mundo
    – Identificamos quem são Maia e Alcolumbre e muitos outros traidores
    – Tivemos o prazer de aprender com um ministro da Educação que os 11 do STF não passam de bandidos com toga.
    – Enfim, Bolsonaro escancarou todo o sistema podre! Bolsonaro abriu a tampa do imenso bueiro! Ratos e baratas estão desesperados!
    -Bolsonaro fez o povo ficar ciente da política e da economia como nunca!
    -Bolsonaro governa com transparência, ou seja, ele mostra seus erros e acertos.
    -Bolsonaro nos devolveu o amor pelo nosso país
    Você acha que enterraremos um sistema todo em 6 anos???
    Claro que não! Mas estamos mais fortes e mais lúcidos do que nunca estivemos.
    Desistir, nunca! Render-se, jamais!
    Por tudo o que Bolsonaro passou (e passa), apostando até sua vida por nós, o mínimo que devemos fazer é ter a decência de lutar com toda a força e coragem que tivermos.

    ESTAMOS JUNTOS, BRASIL!

    Copie o texto e cole na lista, vai direto pra todos os contatos da lista.

    Copiado e colado! Assim eles não bloqueiam, por enquanto.

    1. Ótima explanação! Um país unido com parte dele de mãos dadas com a esquerda, jamais. Que continue a guerra, a união só será aceitável quando os partidos com bandeiras vermelhas forem completamente banidos do cenário nacional, juntamente com os seus apoiadores na mídia, no TSE no STF-PT, fora alguns grandes empresários que no mínimo terão que rever suas condutas nesse quesito, devem ser caçados todos os envolvidos na criação, divulgação e aval das pesquisas mentirosas que apontavam a esquerda vencedora durante o período eleitoral, isso foi manipulação de pensamento típica de ditadores. Unir-se aos esquerdistas é querer aceitar, transformar o errado em certo, é o mesmo que legalizar as drogas ou ser permissivo com a bandidagem, então, isso não é uma opção, eles não são invencíveis, nós não seremos uma Venezuela do Leste.

  11. Em respeito a leitores de boa vontade da Revista Oeste, como a Cirlei e o Eduardo, acrescento que talvez eu não tenha deixado claro que Pirro venceu a batalha, surpreendendo o exército romano com uma nova arma (os elefantes, que seus inimigos desconheciam), mas depois os romanos foram vitoriosos. Eles prosseguiram a guerra e por fim derrotaram Pirro. Sou professor há meio século. Se alguns alunos, por insuficiência do mestre ou deles, não entendem a aula, a recomendação é voltar ao assunto até que todos o entendam. Sempre fiz assim. Num artigo, não: a oportunidade é única. Menos para aqueles que me conhecem de livros, colunas, artigos. De todo modo, acho que são necessárias a misericórdia e a tolerância para entendermos a multidão diante dos quartéis e chegarmos a uma solução. As eleições não resolveram a divisão que tomou conta do Brasil.

    1. Deonisio, pensamos de maneira diferente e eu respeito a sua opinião.
      A democracia é baseada em três pilares :
      – Alternância de poder
      – Respeito pela escolha da maioria
      – Convívio de ideias diferentes de maneira harmoniosa
      Portanto apesar de termos posições diferentes, conviveremos em harmonia porque devemos nos respeitar.
      Agradeço imensamente a sua atenção quanto ao meu comentário e assim como você, também estou engajado desejando uma nação melhor para nossos filhos e netos.
      Um grande e fraterno abraço.

    2. “As eleições não resolveram a divisão que tomou conta do Brasil.”
      Esse tipo de divisão só se resolve(pelo menos até a próxima eleição), quando as eleições são limpas,transparentes e quando a justiça eleitoral age com total lisura e imparcialidade.

  12. Aí de nós o povo que acreditamos num pseudo líder que VIU mas não teve culhôes para REAGIR quando desde 2020 teve seu poder violado pelo STF permitindo a TUTELA do Estado meemos com vários instrumentos legais de frear o golpe rudiculo que levou passivamente entregando a nação a uma quadrilha ousada e a única coisa que faz é chorar sob as saias da primeira dama … vai prá casa mané!

  13. Deonísio da Silva é um grande pulha.
    Já está em curso IDIOTA, a implantação definitiva de uma Democracia Militar, após 4 anos de,sucesso na sua implantação, sem que seres abjetos comovo Deonísio tivessem sequer imaginado, apenas um povo cansado de vilipêndios.
    DEUS
    PÁTRIA
    FAMÍLIA
    LIBERDADE

  14. Textinho mequetrefe, esse. “Que venha a paz entre os brasileiros. Chega de guerra e de divisões internas. Isso não vai acabar bem.” Quer dizer, então, que o melhor é aceitarmos esse resultado da eleição como válido, honesto e dizer que ele representa a democracia brasileira? Depois de tudo o supremo careca fez? Resta saber qual cargo o autor desse texto tem, na futura administração petista. Ridículo!

    1. Sarney escreveu “Marimbondos de fogo” O único marimbondo de fogo que conheço é um cachasseiro mentiroso, insidioso, fanastrão, portador de um veneno medonho e tenebroso. Espero que ele tome de seu veneno!

  15. Essa sua estorinha de vitória de Pirro aí, não colou não, velhinho. Que conversa é essa de derrotado? Você então acha que essa eleição foi toda nos conformes? Vou dizer uma coisa: Essa revista está nos dando um recado subliminar para desistirmos dela, contratando uma besta quadrada dessa aí para articulista. VTNC!

    1. Para seu conhecimento de história, velhinho. Pirro, o rei do Épiro, derrotou os romanos numa guerra justa, não cabe aqui contar o resto da história. O certo é que jamais caberá essa sua comparação, sua besta quadrada!

  16. Que mer** é essa de multidão de derrotados, nóspatriotas estamos aqui sim, para derrotar esse “sistema” político chefiado pelo molusco (seu chefe) e demais integrantes da facção …

  17. Deonisio Silva, só pra entender quando você escreve “Chega de guerra e divisões internas entre os Brasileiros” :
    Você está sugerindo que a população volte bovinamente pra casa e aceite o resultado dessa eleição? E deixe nosso país ser governado por esse tipo de gente que está prestes a tomar de assalto nossa nação?
    Não reagir seria aceitar a derrota sem ao menos lutar e sem o mínimo de decência.
    Isso não vai acabar bem se o povo engolir passivamente essa situação que nos foi imposta por togados que não tem o direito nem o poder de legislar nem de executar pois isso não foi lhes outorgado pela população.

    1. Que materia! Será que essa revista está no começo do fim da seriedade que sempre demonstrou para com a verdade? Motivo pelo qual eu a tenho adicionada nos meus favoritos. Estará ela descambando para a esquerda? Espero que não.

  18. MULTIDÃO DE DERROTADOS É O CACETE!!!
    São quase 60 MILHÕES DE BRASILEIROS HONESTOS que NÃO ACEITAM serem FRAUDADOS por uma QUADRILHA ESQUERDA CORRUPTA E UM SISTEMA JUDICIÁRIO CONIVENTE E IMORAL.
    😡😡😡😡
    BRASIL ACIMA DE TUDO E DEUS ACIMA DE TODOS.
    🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.