Braga Netto: ‘Não existe politização nas Forças Armadas’

Ministro da Defesa participou de audiência na Comissão de Relações Exteriores do Senado e cobrou mais recursos para a pasta
-Publicidade-
General Braga Netto participou de audiência na Comissão de Relações Exteriores do Senado
General Braga Netto participou de audiência na Comissão de Relações Exteriores do Senado | Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

O ministro da Defesa, general Walter Braga Netto, participou nesta quinta-feira, 29, de uma audiência na Comissão de Relações Exteriores do Senado que durou cerca de quatro horas. Ao responder a perguntas dos parlamentares, o ex-chefe da Casa Civil negou que haja politização nas Forças Armadas e cobrou mais recursos destinados à Defesa.

“Não existe politização nas Forças Armadas. Isso aí é uma ideia equivocada. Houve a troca dos comandantes, por uma questão até de antiguidade. Os civis normalmente não entendem muito a questão da antiguidade, mas isso para nós é muito importante”, afirmou Braga Netto.

-Publicidade-

Leia mais: “Câmara convoca Braga Netto para falar sobre vagas ociosas em UTIs”

Sobre a falta de recursos do Orçamento para a pasta, o ministro disse que houve uma diminuição em função do cumprimento do teto de gastos. “Se os senhores me falarem: ‘ministro, me cite o problema da Defesa’. O problema da Defesa é exatamente recurso, porque capacidade, profissionalismo, tudo isso nós temos. Falta o recurso para implementar”, avaliou.

Leia também: “Pujol afirma que Exército segue leal ‘ao Brasil e à Constituição’”

Braga Netto também foi indagado a respeito das declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre a possível atuação das Forças Armadas para garantir o direito de ir e vir dos brasileiros, em meio às medidas de restrição da circulação de pessoas decretadas por prefeitos e governadores. Na ocasião, Bolsonaro usou os termos “o meu Exército” e “o nosso Exército” algumas vezes — e foi criticado por opositores.

“Eu posso colocar uma posição minha. Quando nós falamos ‘o meu Exército’, não é só o meu, é o meu, é o seu, é o nosso Exército. É o Exército de todos os brasileiros”, afirmou. “Então, eu acredito que quando o presidente fala, ele está se referindo a ele próprio, como qualquer brasileiro deve se referir.”

Leia também: “Bolsonaro afirma que o Exército pode ir ‘para as ruas’ contra o lockdown

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comment

  1. Vamos para com essa palhaçada. Então eu digo, o meu exército está pronto para restabelecer a Lei e a Ordem no país, aviltadas que são por políticos e um STF, imundos.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site