Butantan entrega novos dados sobre o uso da CoronaVac em crianças

Segundo a Anvisa, o Instituto não apresentou novo pedido para inclusão de menores de 17 anos nas indicações da vacina
-Publicidade-
A Anvisa recebeu novos dados de estudos conduzidos na China sobre o uso da CoronaVac
A Anvisa recebeu novos dados de estudos conduzidos na China sobre o uso da CoronaVac | Foto: Caio Rocha/Estadão Conteúdo

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que recebeu novos dados de estudos conduzidos na China do uso da CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac, em menores de 17 anos de idade.

Os dados foram apresentados pelo Instituto Butantan, em reunião realizada na sexta-feira 5. Segundo a Anvisa, o Butantan não apresentou novo pedido para inclusão de menores de 17 anos nas indicações da vacina até o momento.

Em agosto, a Anvisa analisou e negou um primeiro pedido, devido à limitação dos dados.

-Publicidade-

A equipe técnica da agência informou que os estudos conduzidos na China precisam indicar uma relação favorável para o uso da vacina, especialmente na faixa etária de 3 a 12 anos.

O conteúdo deve reunir resultados completos da capacidade de indução da resposta imunológica (chamada tecnicamente de imunogenicidade) e a duração da proteção da CoronaVac para que seja avaliado um novo pedido de indicação para a faixa etária.

Está prevista para a semana que vem uma nova reunião entre a Anvisa e o Instituto Butantan para o alinhamento das discussões, considerando dados e requisitos técnicos.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.