‘Discurso de ódio’: anunciante se pronuncia sobre artigo da Folha

Com peça de publicidade aparecendo em página de colunista que torce pela morte de Bolsonaro, instituição de ensino avisa que pode rever "políticas de anúncios"
-Publicidade-
Foto: REPRODUÇÃO
Foto: REPRODUÇÃO | discurso de ódio - folha de s. paulo - universidade são judas tadeu

Com peça de publicidade aparecendo em página de colunista que torce pela morte de Bolsonaro, instituição de ensino avisa que pode rever “políticas de anúncios”

discurso de ódio - folha de s. paulo - universidade são judas tadeu
Foto: REPRODUÇÃO

Além de receber críticas dos presidente do Senado e do Supremo Tribunal Federal (STF) e podendo se tornar alvo de inquérito a partir de pedido do ministro da Justiça e Segurança Pública, o jornal Folha de S.Paulo pode sofrer no bolso com a decisão de publicar o artigo em que um colunista registra a torcida pela morte de Jair Bolsonaro. Isso porque ao menos uma empresa abre a possibilidade de rever suas “políticas de anúncios”.

-Publicidade-

Leia mais: “Colunista da Folha é criticado por torcer pela morte de Bolsonaro

Investindo em mídia programática, recurso que permite que uma mesma peça publicitária apareça em diversos domínios da internet e para usuários específicos, a Universidade São Judas Tadeu viu que uma ação de publicidade sua ficou diretamente atrelada ao conteúdo intitulado “Por que torço para que Bolsonaro morra”, de Hélio Schwartsman. A instituição de ensino superior reforçou, no entanto, ser contrária a “qualquer ato de violência, preconceito ou discurso de ódio”.

discurso de ódio - folha de s. paulo - universidade são judas tadeu
Anúncio da Universidade São Judas apareceu em página do artigo em que jornalista clama pela morte do presidente da República | Foto: REPRODUÇÃO/FOLHA.COM

Posicionamento

Em nota enviada pela equipe de comunicação a Oeste, a empresa educacional afirma que preza pelos valores democráticos. “A Universidade São Judas é uma instituição democrática, aberta ao diálogo e que repudia qualquer ato de violência, preconceito ou discurso de ódio”, informa.

“Podendo inclusive rever as políticas de anúncios”

Por fim, sem mencionar diretamente o jornal paulistano, informa que tende a ponderar a estratégia atual de investimento em publicidade. “As regras de atuação da instituição são constantemente reforçadas com os parceiros e prestadores de serviços, podendo inclusive rever as políticas de anúncios”.

Mais: “Após torcer pela morte de Bolsonaro, colunista da Folha diz ter sido ‘gentil’ com o presidente

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES: “O ódio ilegal e o ódio do bem“, artigo de Ana Paula Henkel publicado na 16ª edição da Revista Oeste

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.