Escolha de Pazuello para Saúde foi ‘decisão de risco’, diz Mourão

Vice-presidente admitiu que ex-ministro da Saúde será pressionado ao depor na CPI da Covid: 'Tem que suportar a pressão'
-Publicidade-
O vice-presidente Hamilton Mourão admitiu que Eduardo Pazuello será 'pressionado' na CPI da Covid
O vice-presidente Hamilton Mourão admitiu que Eduardo Pazuello será 'pressionado' na CPI da Covid | Foto: Reprodução/TV Senado

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta sexta-feira, 7, que a decisão de Jair Bolsonaro de indicar o general Eduardo Pazuello para ocupar o Ministério da Saúde foi arriscada. Ele tomou posse no cargo em setembro de 2020 e ficou até março de 2021.

“Acho que, independentemente de ser general da ativa ou da reserva, a colocação do Pazuello como ministro da Saúde foi uma decisão de risco”, afirmou Mourão. “É óbvio que agora, com essa questão da CPI, o Pazuello não pode se furtar a comparecer e prestar lá o seu depoimento”, completou o vice-presidente.

-Publicidade-

Leia mais: “Randolfe pede que Eduardo Pazuello mostre teste de covid-19”

Ainda sobre a participação do ex-ministro da Saúde na CPI — seu depoimento foi adiado para o dia 19 de maio —, Mourão disse que Pazuello será pressionado pelos parlamentares da oposição. “É óbvio que ele vai ser pressionado. Ele tem que manter a calma. Existe um velho ditado militar que sempre diz o seguinte: cabeça fria no corpo quente. Então, é dessa forma que ele tem que se comportar”, afirmou.

“Não tem que ir fardado, porque ele não estava em uma função militar. Apesar dele ser um general da ativa, ele estava em uma função civil. Tem que comparecer em trajes civis, que era a função que ele estava exercendo. E tem que suportar a pressão”, disse o vice-presidente.

Leia também: “‘Muita gente aproveitando para reaparecer’, diz Mourão ao comentar CPI”

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comment

  1. Se um general de exército não tem coragem para enfrentar um bando de corruptos com prontuários recheados de patifarias então deve pedir exclusão das forças militares sem direito a vencimentos. Não acredito nisso.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site