‘Liberdade é também não temer tanto’, diz presidente do Santander no Brasil

'Algum medo nos fortalece, muito medo nos desumaniza', escreveu Sérgio Rial em texto reproduzido nas redes sociais da instituição
-Publicidade-

O banco Santander divulgou em suas redes sociais neste domingo, 21, um artigo de autoria do presidente da instituição no Brasil, Sérgio Rial, sobre o momento vivido pelo país. No texto, ele propõe “uma reflexão sobre o poder da liberdade” e trata do medo da morte, em meio ao avanço da pandemia de covid-19 e à decretação em série de lockdowns por parte de prefeitos e governadores em todo o país.

Leia mais: “‘Lockdown é conversa-fiada’, diz Augusto Nunes”

-Publicidade-

“Em um momento no qual o pânico da ausência de ar e de morrer no seco se aproxima de todos nós, como uma maré que não conhece as leis da gravidade, cabe-me começar meu final de semana com uma reflexão sobre o poder da liberdade”, escreveu. “Pensamos nela, às vezes, como um ato heroico carregado de simbolismos freudianos e hollywoodianos. Liberdade é também não temer tanto. Algum medo nos fortalece, muito medo nos desumaniza. No final, como diz a poeta americana Patti Smith, ‘não se preocupe, vai dar certo, vamos dar um jeito’.”

Leia também: “Loquidau, a hipnose”, artigo de Guilherme Fiuza publicado na Edição 52 da Revista Oeste

Em seu artigo, o presidente do Santander no Brasil diz ainda que não tem “muitas regras” em sua vida pessoal. “Elas me diminuem naquilo que julgo ser a grandeza do humano: a ausência do limite”, afirmou. “Por isso, só tenho uma única regra religiosa: ser uma boa pessoa. Neste final de semana, te desejo um pouco mais de liberdade e daquela única regra: ame o dia que se inicia, diga obrigado e, se conseguir, seja uma boa pessoa”.

Leia também: “Caos absoluto na gestão”, reportagem publicada na Edição 52 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.