Metade do lixo do Brasil deve ser reaproveitado até 2040

Mais de 2,4 milhões de toneladas de plástico são descartadas de forma irregular no país, segundo dados do Banco Mundial 
-Publicidade-
A medida prevê diretrizes para tratamento e reciclagem de resíduos sólidos
A medida prevê diretrizes para tratamento e reciclagem de resíduos sólidos | Agência Brasil/Fernando Frazão

O Diário Oficial da União publicou nesta quinta-feira, 14, decreto do Plano Nacional de Resíduos Sólidos (Planares), que estabelece o reaproveitamento da metade de todo o lixo produzido no Brasil até 2040. A medida faz parte da Política Nacional dos Resíduos Sólidos, uma lei sancionada em 2010.

O plano definiu também a meta de que não exista mais lixão (áreas a céu aberto e sem medidas de proteção ao meio ambiente e à saúde pública) no país até 2024, sendo a reciclagem um ponto prioritário. Para Carlos Silva Filho, presidente da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, a intenção é consistente, porém ambiciosa.  

“Mas as metas têm plenas condições de serem cumpridas e atendidas através desse conjunto de medidas estruturantes que o plano também traz”, afirmou o gestor. “Nós não podemos mais conviver com um sistema de gestão de resíduos sólidos que afeta a saúde de 77 milhões de brasileiros e tem um custo para o SUS de US$ 1 bilhão por ano”.

-Publicidade-

Os resíduos sólidos são “todo material, substância, objeto ou bem descartado resultante de atividades humanas em sociedade”, conforme definição da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

O Brasil é o quarto país no mundo que mais produz lixo, de acordo com estudo feito pelo Fundo Mundial para a Natureza, atrás apenas dos Estados Unidos (1º lugar), da China (2º) e da Índia (3º). Em 2019, foram produzidos no país cerca de 79,1 milhões de toneladas de resíduos sólidos. Segundo estudo do Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2020, o brasileiro produz, em média, mais de 1 quilo de lixo por dia.

Quais são as mudanças

A estratégia sobre tratamento e manejo correto de resíduos sólidos foi regulamentada depois de 12 anos desde a sua sanção. Agora, o plano apresenta as diretrizes necessárias para atingir a meta de eliminar os lixões espalhados pelo Brasil.

  • 48% de todos os resíduos devem passar por tratamentos para serem usados como recursos energéticos
  • Reciclagem de 13,8% de todos os resíduos sólidos até 2024
  • Até 2024, 30% de eletrônicos, pilhas e baterias deverão ser recolhidos pelas empresas que fabricam esses produtos

“O Plano Nacional de Resíduos Sólidos, portanto, representa a estratégia de longo prazo em âmbito nacional para operacionalizar as disposições legais, princípios, objetivos e diretrizes da política”, informou a Secretaria Geral em nota divulgada.

A medida prevê ainda que os pagadores de impostos brasileiros serão os responsáveis por custear as medidas.

 

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Vou baixar o plano. Até que enfim passou a queima do lixo, que os esquerdinhas- ambientalistas sabotaram durante mto tempo. Recurso energético.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.