Núcleo da Lava Jato no Paraná denuncia 11 por desvios de R$ 95 milhões na Petrobras

Segundo a denúncia, funcionários da estatal direcionavam o fechamento de contratos de câmbio para o Banco Paulista
-Publicidade-
Segundo procuradores, ação de suposta organização criminosa lesou a Petrobras em mais de R$ 95 milhões
Segundo procuradores, ação de suposta organização criminosa lesou a Petrobras em mais de R$ 95 milhões | Foto: Divulgação/Agência Petrobras

O núcleo da Lava Jato no Ministério Público Federal (MPF) do Paraná denunciou 11 pessoas — entre as quais ex-funcionários da Petrobras e do Banco Paulista — pelos crimes de corrupção ativa, peculato e lavagem de dinheiro que geraram um prejuízo de mais de R$ 95 milhões à estatal. A acusação é resultado das investigações da Operação Sovrapprezzo, que mirou um suposto esquema de manipulação artificial das taxas de câmbio nas operações entre o banco e a petrolífera. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A Procuradoria pede à Justiça Federal que condene os acusados também ao pagamento de danos morais em montante equivalente aos prejuízos causados à estatal. Segundo a denúncia, funcionários da Petrobras direcionavam o fechamento de contratos de câmbio para o Banco Paulista. “Para fazer isso, os funcionários públicos ou cotavam só com o Paulista, ou cotavam com o Paulista e com o Bradesco, sendo que participava da organização também um operador da mesa do Bradesco, que oferecia taxas piores do que o Paulista, para que este vencesse a concorrência”, afirma o MPF.

-Publicidade-

Leia mais: “Com apoio de sindicatos, terreno da Petrobras é invadido no Rio”

De acordo com os investigadores, o sobrepreço nos contratos era dividido entre os integrantes da organização criminosa. O Banco Paulista fazia contratos fictícios com a empresa QMK Marketing, que devolvia, em espécie, o equivalente a 81% das notas fiscais.

Na Operação Sovrapprezzo, em setembro do ano passado, foram cumpridos 25 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro, em Teresópolis e em São Paulo. A sede da Petrobras, no Rio, foi alvo das diligências.

Leia também: “MPF pede que ação sobre doações ao Instituto Lula seja encaminhada a SP”

Com informações do Estadão Conteúdo

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site