PF faz operação contra pedofilia em 20 Estados

Estão sendo cumpridos 104 mandados de busca e apreensão e oito de prisão preventiva
-Publicidade-
Agentes da Polícia Federal cumprem mais de 100 mandados de busca e apreensão
Agentes da Polícia Federal cumprem mais de 100 mandados de busca e apreensão | Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta sexta-feira, 3, a Operação Lobos II, que tem como alvo um grupo de criminosos que utilizava a darkweb para difundir conteúdos relacionados a abuso sexual de menores. Estão sendo cumpridos 104 mandados de busca e apreensão e oito de prisão preventiva.

Segundo a PF, o objetivo da operação, além de identificar e prender os abusadores sexuais e consumidores de pornografia infantil, é localizar e resgatar crianças que se encontram sob situação de extrema violência.

A ação policial investiga crimes de venda, produção, disseminação e armazenamento de material envolvendo pornografia infantil e estupro de vulnerável. Os agentes da PF foram às ruas em 20 Estados brasileiros: Alagoas, Amazonas, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins, além do Distrito Federal.

-Publicidade-

Desde 2016, a PF firmou parcerias com corporações policiais de diversos países com o intuito de identificar criminosos e abusadores sexuais na darkweb. De acordo com as investigações, os bandidos atuavam mediante uma divisão de tarefas — arregimentadores de menores, administradores, moderadores, provedores de suporte de hospedagem de sites e produtores de material.

“A união internacional de esforços permitiu a identificação de um indivíduo brasileiro que utilizava a deepweb para hospedar e gerenciar cinco dos maiores sites de abuso sexual infantil de toda a rede mundial de computadores”, diz a PF em nota. “Os sítios e fóruns da darkweb eram divididos por temática, com imagens e vídeos de abuso sexual de crianças de 0 a 5 anos, abuso sexual com tortura, abuso sexual de meninos e abuso sexual de meninas.”

Os sites eram utilizados por mais de 1,8 milhão de usuários para publicar, adquirir e retransmitir materiais relacionados à violência sexual contra crianças e adolescentes.

Os crimes investigados na Operação Lobos II são venda, produção, disseminação e armazenamento de pornografia infantil e estupro de vulnerável.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.