STF e PSB se calam diante de mulher assassinada por traficantes no RJ

A pedido do partido, Supremo limitou operações policiais em favelas
-Publicidade-
Ana Cristina da Silva foi morta em meio a conflito protagonizado por traficantes cariocas | Foto: REPRODUÇÃO/TV GLOBO
Ana Cristina da Silva foi morta em meio a conflito protagonizado por traficantes cariocas | Foto: REPRODUÇÃO/TV GLOBO | ana cristina da silva - mulher morta por traficantes - stf e psb

A pedido do partido de esquerda, Supremo limitou operações policiais em favelas cariocas

ana cristina da silva - mulher morta por traficantes - stf e psb
Ana Cristina da Silva foi morta em meio a conflito protagonizado por traficantes cariocas | Foto: REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Confronto entre traficantes no Complexo São Carlos, no bairro carioca do Estácio, resultou na morte de Ana Cristina da Silva, de 25 anos, na última semana. De acordo com testemunhas, o assassinato ocorreu porque ela se colocou à frente do filho na tentativa de protegê-lo do tiroteio. Assim, acabou baleada. O crime, no entanto, não foi repudiado publicamente pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) e nem pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

-Publicidade-

Leia mais: “Witzel pede socorro ao STF para reverter afastamento”

A ação liderada por criminosos na favela em que Ana Cristina morava e trabalhava ocorreu dias após o STF validar ação movida pelo partido da esquerda, conforme noticiou Oeste. Nesse sentido, o PSB acionou a Corte para restringir operações da polícia nas comunidades do Rio de Janeiro durante o período em que o país estiver em estado de calamidade pública. Líder da legenda na Câmara dos Deputados, Alessandro Molon chegou a comemorar a decisão do Supremo. “Graças a ação do PSB no STF, o RJ registrou o menor nº de pessoas mortas pela polícia em um mês”, comentou o parlamentar fluminense.

Silêncio

Diante do trabalho limitado da polícia, Ana Cristina foi assassinada em meio à disputa de facções criminosas. Molon e PSB, contudo, não lamentaram (ao menos de forma pública) a morte da mulher. Com o STF, a situação foi similar. No tribunal em que ministros debatem com youtubers e acusam o presidente da República de ser favorável à tortura e à ditadura, nenhuma palavra de lamentação pela perda da vida de alguém baleado por traficantes. E nenhuma sinalização de que a decisão tomada contra a polícia possa ser repensada.

MAIS: “Moro respeita decisão do STF, mas…”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. A esquerda conta com o PCC, franco atiradores e, como na Venezuela de Maduro, até com pessoal cubano tomando postos chaves no Rio. E não é porque está sem governador.

    1. A RESPONSABILIDADE DESSE ASSASSINATO É INTEGRALMENTE DO STF.
      Os adjetivos provenientes da responsabilidade são evidentes.
      Os trouxas que deixamos acontecer somos nós.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.