‘Temos que fazer mea-culpa e reconhecer nossos erros’ diz Pacheco na COP26

Presidente do Senado falou sobre desmatamento ilegal e crise de imagem
-Publicidade-
O presidente do Senado, senador Rodrigo Pacheco, participa da COP26, em Glasgow, na Escócia
O presidente do Senado, senador Rodrigo Pacheco, participa da COP26, em Glasgow, na Escócia | Foto: Reprodução/TV Senado

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), está em Glasgow, na Escócia. Ao lado do ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, deputados e senadores, ele participa da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26).

Nesta terça-feira, 9, Pacheco discutiu propostas e soluções para conter a emissão de poluentes. O parlamentar afirmou que o Brasil precisa reconhecer seus erros no combate ao desmatamento ilegal.

“Vínhamos numa toada nas últimas décadas de um combate ao desmatamento relativamente eficiente. Há pontos positivos a se dizer”, observou. “Mas nós temos que fazer mea-culpa e reconhecer nossos erros. É a premissa de toda negociação”, disse.

-Publicidade-

O presidente do Senado reforçou que o Brasil tem problemas de desmatamento ilegal, o que impacta na responsabilidade ambiental do país.

“É importante sentarmos à mesa fixando uma premissa verdadeira e que não pode ser ocultada, nós temos um problema grave no Brasil de desmatamento ilegal das nossas florestas, isso é evidente”, afirmou. “E impacta naquilo que temos de responsabilidade ambiental, muito embora, na emissão de poluentes, no geral, representamos 1% da geração mundial.”

Pacheco ressaltou que a situação atual alarma o mundo e que constitui uma narrativa consistente e forte em relação ao Brasil e “faz com que tenhamos uma crise de imagem em relação aos demais países”.

O presidente do Senado ainda argumentou que o Brasil deve reconhecer para o mundo que existe o problema do desmatamento, mas que está na rota da solução. Ele ainda defendeu que os países desenvolvidos assumam a responsabilidade na contribuição para preservar as florestas, principalmente nos países em desenvolvimento.

“Essas florestas, para serem preservadas, precisam da contribuição de todos os países, sobretudo dos desenvolvidos, que se valeram antecipadamente do proveito das suas atividades econômicas com algum sacrifício do meio ambiente”, justificou. “Deve haver uma compensação entre os países desenvolvidos com os países em desenvolvimento”, propôs Pacheco.

“Não é uma desculpa de que não cuidamos do desmatamento porque os países desenvolvidos não têm investimento”, ponderou. “Nós sabemos da nossa responsabilidade e devemos combater o desmatamento com os nossos mecanismos, mas esses investimentos são fundamentais e justos porque tem a lógica de compensação histórica”, concluiu.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

21 comentários Ver comentários

  1. O que este sujeito sabe sobre o assunto? Que autoridade tem para opinar? Que autoridade tem para se apresentar como representante do país, ele que foi eleito por colegas de uma casa que envergonha o povo?

  2. Como mineiro, quero esclarecer aos demais brasileiros que quem elegeu este babac…🤬 foi o voto ANTI-DILMA. Era esse merd… a opção que tínhamos para derrotar a Dilmanta e o PT !!!!

  3. UM GRANDE FIO DE UMA PUTA, NOS SOMOS EXEMPLO, E AI VAI ESTE ORDINARIO LA VIRAR ABUNDA PARA QUEM QUER NOS SACANEAR, VAI TOMAR NO CÚ TRAIDOR

  4. “MEA- CULPA” Tinha que ser feito no Senado Nacional. Desperdício de votos dos mineiros. Conduta ridícula de uma caricatura de senador.

  5. O pior é que esse traste tem mandato até 2026, o senado federal é o atraso do Brasil, Sarney, Renan, Alcolumbre, Pacheco, todos presidentes desse poder, alguns várias vezes, não tem como dar certo essa coisa.

  6. Mais um traidor da Pátria, conhece a Amazônia apenas por fotos, virar lacrador só para agradar a Globo que na retórica já dizimou a Amazônia no intuito de prejudicar o Presidente Bolsonaro, quando na verdade prejudica os Brasileiros que trabalham de sol a sol pra botar comida na mesa desses vagabundos. Que decadência do Senado, ter um imbecil desses como seu Presidente.

  7. Este é o maior traidor da atualidade. Foi eleito para o senado com o voto de pessoas que abominam esse sistema perverso, ou seja, contrários a tudo que dilma também representa. Infelizmente os crápulas estão por toda parte.

  8. Ouvindo isso desse sujeito até parece que já fala como futuro presidente da república. Um chibungo desse, todo empetecado é capaz de nem saber onde fica a amazônia, vai vendo…

  9. Pachequim,vc é frouxo,covarde e sabotador do Brasil.vVoce não tem condições de ser senador,pois é babaca e com o rabo preso com os FDP,quero dizer STFAcorda MG

    1. O que um engomadinho como este sabe ou entende sobre o desmatamento ilegal. Provavelmente não sabe que as serrarias/madeireiras estão por trás disto. Mas ele precisa fazer de conta ou mostrar uma certa postura dentro peso. Seu peso e conhecimento é igual a sua significância, ou seja, zero.

  10. Vai lá Pachecão esse é mais um argumento que o povo brasileiro precisava para não votar em você em 2022, ainda bem que esses caras vivem tão dentro da bolha que parece que nem percebem as merdas que falam e assim o povo consegue enxergar perfeitamente o quão canalha é um cidadão como está sabotador e traidor da nação!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.