‘Vamos devolver as estatais ao povo brasileiro’, diz Guedes

'O presidente não quer tirar do pobre para dar ao paupérrimo', declara o ministro da Economia
-Publicidade-
O ministro da Economia, Paulo Guedes
O ministro da Economia, Paulo Guedes | Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, revelou que o governo pretende continuar com programas sociais de transferência direta de renda à população mais carente. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, publicada nesta segunda-feira, 24, ele afirmou que o dinheiro para a implementação dessas medidas virá de “fundo de distribuição de riqueza” para “devolver as estatais ao povo brasileiro”.

“Em 40 anos, nunca saiu tanta gente da pobreza [com o auxílio emergencial]. Você quer ajudar o pobre, faz uma transferência direta para ele em vez de criar um aparato estatal”, disse o ministro. “O presidente não quer tirar do pobre para dar ao paupérrimo. De acordo. Então, vamos devolver as estatais ao povo brasileiro. Cada estatal vendida dá ganho de capital para o povo. E se não vender? Pega um pedaço dos dividendos e coloca para eles. Cria um fundo de distribuição de riqueza, capitalismo popular. Isso está formulado e pronto.”

-Publicidade-

Leia também: “Governo anuncia desbloqueio de R$ 4,8 bi do Orçamento”

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

7 comments

  1. Não gosto de ser o pessimista mas isso, assim como tantas outras propostas do governo, esbarra na dificuldade de se mexer no status quo e privilégios do establishment que ocupa setores da máquina pública. Resumindo, os parasitas não querem perder a boquinha.

    Se queremos que esse tipo de coisa se torne realidade, vamos ter que fazer igual o povo fez em 2019 para passar a reforma da previdência. Manifestações em apoio desses projetos para pressionar quem quer que seja.

  2. O ministro disse tudo: “Devolver o Brasil aos brasileiros”. Prima dessa questão, as milhares de ONGs e OSCIPs que atuam na questão indígena. Bem, sai cem reais de Brasília, chegam um real na comunidade indígena, se muito. É por isso que uma entidade detestável como o CIMI, o Conselho Missionário Indigenista, não quer, de jeito nenhum, que mexam nisso.
    O grande mal desse governo é um só: COMUNICAÇÃO.
    Se o atual governo soubesse COMUNICAR DE FORMA CLARA, OBJETIVA, as suas intenções, as suas políticas, a linha que persegue, gente, Bolsonaro detonava 99% desses gangsters que fingem defender este ou aquele grupo, mas, que na verdade, operam interesses empresariais ongueiros FDP.
    O problema é que Bolsonaro chega e diz “é muita terra pra índio”. Lógico, com uma afirmação estúpida dessas, o que fazendo é arrumando a bola para um CIMI desses bater.
    Aí, o CIMI lança isso na Europa, chama a Madonna, o Caetano Veloso, e todos saem “protestando contra o genocida”.
    Pelo amor de Deus, Bolsonaro e equipe, MELHOREM A FORMA DE COMUNICAR.
    Meus caros, deixem de ser jumentos em comunicação, que é o que vocês são.
    Bolsonaro, para de falar de improviso, passa um esparadrapo na boca desses seus filhos, especialmente daquele mais novo, o Carlos, e contrata um comunicador de fundamento.
    Cara, deixa de ser burro. Suas ideias são ótimas, legítimas, honestas, mas são, insisto, pessimamente mal comunicadas.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site