-Publicidade-

2 secretários do Ministério da Economia pedem demissão

Salim Mattar (Desestatização) e Paulo Uebel (Desburocratização) deixam a pasta comandada por Paulo Guedes
Foto: REPRODUÇÃO/CNN BRASIL
Foto: REPRODUÇÃO/CNN BRASIL | paulo guedes - ministério da economia - 2 secretários - demissão

Salim Mattar (Desestatização) e Paulo Uebel (Desburocratização) deixam a pasta comandada por Paulo Guedes

paulo guedes - ministério da economia - 2 secretários - demissão
Foto: REPRODUÇÃO/CNN BRASIL

Os funcionários dos Correios não precisam mais se preocupar em tentar censurar o integrante do governo federal que tecia críticas públicas à estrutura da estatal. Isso porque o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, Salim Mattar, pediu demissão no início da noite de hoje.

Leia mais: “Esquerda vai ao STF contra Lei da Liberdade Econômica”

Em entrevista coletiva, o ministro Paulo Guedes confirmou que Mattar está fora de sua equipe, pois entregou a carta de demissão. “É um sinal de insatisfação com o ritmo de privatização”, comentou, conforme divulgado pela CNN Brasil. Nesse sentido, Guedes resumiu o teor da conversa com o agora ex-membro do governo: “Ele me disse que é muito difícil privatizar, que o establishment não deixa ter privatização, que tudo é muito difícil. Tudo muito emperrado”.

“Enquanto a iniciativa privada leva 45 dias para vender uma empresa, no governo são dois anos”

Dificuldade que há dois meses o então secretário especial de Desestatização admitiu em entrevista a Oeste. “Enquanto a iniciativa privada leva 45 dias para vender uma empresa, no governo são dois anos”, lamentou Mattar na ocasião.

Outra baixa

Além de Mattar, a pasta conduzida por Guedes desde o início da gestão Jair Bolsonaro perdeu mais um colaborador nas últimas horas. Também com o título de secretário especial, Paulo Uebel tomou a mesma atitude de seu colega que deveria cuidar das desestatizações: pediu demissão. Até o fim da tarde de hoje, ele era responsável pela parte de Desburocratização, Gestão e Governo Digital.

No caso de Uebel, Guedes explicou que ele estava descontente com a demora no avanço da reforma administrativa. Assim, o ministro da Economia admitiu que a “debandada” em sua equipe poderá servir para que ele reestruture a pasta.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês