Aneel aprova socorro às empresas do setor

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou um socorro financeiro, por meio do empréstimo, às empresas do setor elétrico
-Publicidade-
Foto: Free-Photos/ Pixabay
Foto: Free-Photos/ Pixabay | Aneel setor elétrico

Empréstimos da agência reguladora ao setor elétrico podem chegar a R$ 16,1 bilhões; pandemia do coronavírus atingiu com força o setor

Aneel setor elétrico
Foto: Free-Photos/ Pixabay
-Publicidade-

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou um socorro financeiro às empresas do setor elétrico. Essa ajuda se fará por meio de um empréstimo e terá o valor máximo de R$ 16,1 bilhões.

Esse empréstimo será realizado por um conjunto de bancos privados e será coordenado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Trata-se de um procedimento similar ao pacote de socorro para o setor aéreo, conforme já divulgado por Oeste.

A maior parte desses recursos será utilizada para cobrir o rombo causado pela queda do consumo em razão da pandemia. Também foi registrado um aumento da inadimplência, como informa o portal G1.

Leia também: “BNDES lança programa de crédito para pequenas e médias empresas”

Esse empréstimo será pago com um encargo cobrado nas contas de luz a partir do próximo ano. De acordo com o voto da diretora da Aneel Elisa Bastos, esse encargo permanecerá pelo tempo necessário para o pagamento do empréstimo. A expectativa é que isso aconteça em até cinco anos.

O valor final, a ser definido, dependerá do pedido de cada distribuidora. Cada parcela terá um valor, assim como o encargo cobrado do consumidor.

Custos

O setor está sem dúvida passando por um aumento dos custos. A disparada do dólar ao longo do ano acabou encarecendo a energia produzida na usina de Itaipu, além do aumento do valor para remuneração dos serviços de transmissão, por causa da entrada em operação de novas linhas.

Mais: “MPF pede à Aneel que suspenda cortes de energia elétrica”

Portanto, na prática, esses empréstimos vão antecipar em parte valores que seriam pagos pelos consumidores em 2020. Os custos só começarão a ser pagos pelos clientes em 2021.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site