Bolsonaro sanciona autonomia do Banco Central

Projeto foi aprovado na Câmara dos Deputados em 10 de fevereiro
-Publicidade-
Foto: Presidente da República, Jair Bolsonaro, e presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto
Foto: Presidente da República, Jair Bolsonaro, e presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto | Foto: Afonso Marangoni/Revista Oeste

O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta quarta-feira, 24, o projeto de autonomia do Banco Central. O tema foi aprovado na Câmara dos Deputados em 10 de fevereiro e era discutido no Brasil havia décadas, mas nunca tinha avançado.

Em evento no Palácio do Planalto, Bolsonaro estava acompanhando do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, do Ministro da Economia, Paulo Guedes, do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, entre outras autoridades.

-Publicidade-

Leia mais: “Projeto de privatização dos Correios deve ser enviado até amanhã”

“A mudança trará benefícios para toda a sociedade” , comemorou Campos Neto.

Na mesma ocasião, Bolsonaro deu posse aos ministros João Roma (Cidadania) e Onyx Lorenzoni (Secretaria-Geral da Presidência da República).

Autonomia do Banco Central

A ideia é assegurar que a autoridade monetária não sofra interferências políticas. Até então, o banco era vinculado ao Ministério da Economia e os diretores podiam ser livremente demitidos pelo presidente da República.

Entre os principais pontos, o texto prevê mandato fixo de quatro anos para o presidente e diretores, não coincidente com o do presidente da República.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.