Prejuízo do comércio com feriados será menor em 2022, diz CNC

Dos nove feriados nacionais, dois vão cair em domingos: Dia do Trabalhador (1º de maio) e Natal (25 de dezembro)
-Publicidade-
Comércio com decoração de Natal na rua São Bento, no centro de São Paulo | Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Comércio com decoração de Natal na rua São Bento, no centro de São Paulo | Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

O comércio varejista brasileiro deve ter, em 2022, um menor prejuízo causado por feriados nacionais, segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 27, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Na última quarta-feira 22 o Ministério da Economia divulgou o calendário de feriados. De acordo com a Pasta, o próximo ano terá apenas um feriado prolongado, que será o da Semana Santa, no dia 15 de abril, que cairá numa sexta-feira.

-Publicidade-

Dos nove feriados nacionais, dois vão cair em domingos: Dia do Trabalhador (1º de maio) e Natal (25 de dezembro). A projeção é que as perdas no comércio com feriados sejam 22% menores em 2022, em comparação a 2021.

“Isso faz com que o comércio não incorra em um custo de operação maior”, disse à Agência Brasil o economista da CNC, Fabio Bentes, responsável pelo levantamento.

Fabio Bentes explicou que custo é esse: “Se houver uma compensação pelo trabalho no feriado, na semana subsequente, o comércio é obrigado a pagar hora trabalhada em dobro”.

No caso do comércio, Bentes afirmou que, exceto o Natal, não vale a pena fazer esse regime de compensação na maioria dos feriados. Com sete feriados caindo em dias úteis e em sábados, dia de meio expediente no setor, o peso vai ser menor.

“Deve ser o menor prejuízo com feriados desde 2014, quando o comércio teve seis feriados caindo em dias úteis. Então, a principal razão para esse prejuízo menor é o custo menor da folha no dia trabalhado durante o feriado e a perda daquelas vendas casuais que, de alguma forma, acaba atrapalhando um pouco. Quanto mais feriados você tem caindo de segunda-feira a sábado, maior tende a ser o prejuízo do varejo”, informou o economista.

Efeito calendário

De acordo com a pesquisa, o comércio varejista sofreu um prejuízo de R$ 22,11 bilhões em 2021, com os nove feriados nacionais caindo em dias úteis ou em dias ponte, como terça-feira e quinta-feira. Para 2022, a previsão é que as perdas fiquem em torno de R$ 17,25 bilhões.

“O efeito calendário vai jogar alguns feriados para domingo, onde o comércio em sua maioria está fechado, e alguns aos sábados, onde o expediente é mais reduzido”, afirmou.

Fabio Bentes explicou que esse prejuízo, geralmente, é maior nos segmentos altamente empregadores, como hiper e supermercados, que terão R$ 3,33 bilhões de prejuízo, do total de R$ 17,25 bilhões projetados.

Feriados

Atualmente, o calendário conta com nove feriados nacionais. A estimativa não considera os feriados estaduais e municipais e festejos como o Carnaval, que é ponto facultativo (algumas cidades adotam como feriado) e vai de segunda a quarta-feira, dias 28 de fevereiro, 1º e 2 de março.

  •  1º de janeiro, sábado, Confraternização Universal (feriado nacional);
  • 28 de fevereiro, segunda-feira, Carnaval (ponto facultativo);
  • 1º de março, terça-feira, Carnaval (ponto facultativo);
  • 2 de março, Quarta-Feira de Cinzas (ponto facultativo até às 14 horas);
  • 15 de abril, Sexta-Feira Santa (feriado nacional);
  • 21 de abril, quinta-feira, Tiradentes (feriado nacional);
  • 1º de maio, domingo, Dia Mundial do Trabalho (feriado nacional);
  • 16 de junho, quinta-feira, Corpus Christi (ponto facultativo);
  • 7 de setembro, quarta-feira, Independência do Brasil (feriado nacional);
  • 12 de outubro, quarta-feira, Nossa Senhora Aparecida (feriado nacional);
  • 28 de outubro, sexta-feira, Dia do Servidor Público (ponto facultativo);
  • 2 de novembro, quarta-feira, Finados (feriado nacional);
  • 15 de novembro, terça-feira, Proclamação da República (feriado nacional);
  • 25 de dezembro, domingo, Natal (feriado nacional).
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Pela chamada, pareceu-me que o comércio sempre abre para ter mais ou menos prejuízo.
    Aí veio a 💡 ideia de um plebiscito para uma decisão sobre o fechamento do senado federal e do STF!!!
    Assim, tipo um lockdow de 100 anos.

  2. TEM AS ELEIÇÕES, ONDE VAGABUNDOS, LARANJAS E OPORTUNISTAS SE AFASTAM E CONTINUAM RECEBENDO, A COPA QUE PARALISA PARA QUEM TRABALHA E GERA LUCRO PARA QUEM SE DIVERTE, E AS “POSSÍVEIS” GREVES, PORQUE PILANTRAS PARASITAS INFILTRADOS NA EDUCAÇÃO NÃO CONSEGUEM TRABALHAR UM ANO INTEIRO.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.