Deficitária, estatal do ‘chip do boi’ está prestes a fechar as portas

Mesmo com aporte de R$ 600 milhões do Tesouro Nacional entre 2010 e 2018, o Ceitec registrou prejuízo acumulado de R$ 160 milhões
-Publicidade-
Estatal foi criada no governo Lula
Estatal foi criada no governo Lula | Foto: Divulgação/Ceitec

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) deu o veredito: vai extinguir o Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec) em 2022. Em edital publicado na quarta-feira 16, a pasta fez um chamamento público para a escolha da organização social (OS) que ficará responsável pelas atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação do Ceitec. A produção de semicondutores será encerrada com o fim da empresa.

A extinção do Ceitec vai ocorrer em razão do prejuízo que a empresa dá aos pagadores de impostos. Segundo o governo, entre 2010 e 2018, o Tesouro Nacional repassou cerca de R$ 600 milhões à estatal. “Mesmo com o recebimento de recursos públicos, a companhia registrou prejuízo acumulado, no mesmo período, de R$ 160 milhões”, informou, no ano passado, o Programa de Parcerias de Investimentos, do Ministério da Economia.

Fundado em 2008 no governo Lula, o Ceitec desenvolve chips para rastreamento de rebanhos de gado, identificação veicular, monitoramento de saúde e para o passaporte eletrônico, por meio de um convênio com a Casa da Moeda. No entanto, a companhia pública não alcançou o mercado desejado e sua produção resultou em vendas inexpressivas. Nos últimos 10 anos, o Ceitec recebeu da União R$ 1,8 bilhão.

-Publicidade-

E agora?

Dos 48 funcionários que trabalhavam como especialistas em tecnologia eletrônica avançada no Ceitec, a OS deverá manter pelo menos 24. A estatal tinha, ao todo, 183 trabalhadores. Segundo o edital, a espera-se que o MCTI repasse à OS R$ 20 milhões anuais por quatro anos para o cumprimento do contrato. A organização também poderá buscar outras fontes de recursos, com a finalidade de se viabilizar financeiramente.

Saiba mais sobre estatais brasileiras em “O custo da ineficiência”, reportagem publicada na Edição 2 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

8 comentários

  1. O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) deu o veredito: vai extinguir o Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec) em 2022? Que rápido! Dois anos após assumir o Governo descobriram que não precisam de uma Estatal do chip Boi? Que velocidade ! Que liberalismo forte! Por falar nisso: a quantas andam a TV LULA? Ou devemos chamá-la de TV ZERO audiência; ou de TV Evangélica? A quantas andam a estatal do Trem Bala? Parabéns Oeste pela imparcialidade.

    1. Pra vcs liberalóides nada está bom, se não faz reclamam e quando faz reclamam que demorou, não conseguem enxergar todo o cenário político que estamos vivendo, Bolsonaro e seus ministro estão fazendo milagres com tantos sabotadores da nação tentando atrapalhar!

  2. Parabéns ao Governo Bolsonaro pela extinção de uma Empresa que foi criada por um CORRUPTO que se chama LULA para agradar a JBS, esta que recebeu 20 bilhões do BNDES, subsidiado pelo governo do LADRÃO LULA, que com certeza recebeu sua pontinha de corrupção pelo favor público e privilégio, como era tratado pelo ladrão LULA DA SILVA. É PRECISO PRIVATIZAR TUDO QUE NÃO TEM FINALIDADE PÚBLICA. O BRASIL NÃO AGUENTA MAIS!!!!!

  3. JR, às vezes ações mais rápidas são impossibilitadas por contratos firmados, onde a quebra poderia afugentar investidores em outras áreas. Seria lindo privatizar tudo rapidamente, assim como prender todos os “iluminados” do STF.
    O que me chama a atenção é: como um setor que gera tanto lucro ao país (proteína animal), competitivo mundialmente a ponto de levantar diversos movimentos a favor de barreiras “ambientais”, mas que na verdade são econômicas, pode ser deficitária quando operada pelo poder público? Será incompetência ou malandragem?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site