PEC Emergencial não evita risco de romper teto de gastos

Entendimento é da Instituição Fiscal Independente, ligada ao Senado
-Publicidade-
Palácio do Congresso Nacional | Foto: Waldemir Barreto
Palácio do Congresso Nacional | Foto: Waldemir Barreto

A Instituição Fiscal Independente, ligada ao Senado, divulgou relatório nesta terça-feira, 23, em que aponta o risco de que o teto de gastos seja descumprido antes que o limite de despesas obrigatórias previsto na PEC Emergencial seja atingido.

Promulgada em 15 de março, a emenda estabeleceu um “subteto de gastos” para o acionamento de medidas de contenção de despesas. O teto, aprovado em 2016, já limitava o crescimento das despesas primárias à inflação do ano anterior.

Leia mais: “Manifestantes cariocas se opõem a mais restrições no Rio”

-Publicidade-

Agora, o acionamento das medidas de contenção ocorre quando os gastos obrigatórios da União superarem 95% das despesas primárias.

Com informações da Agência Senado

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.