Programa de redução de jornada e salário será renovado, indica Bolsonaro

Presidente também afirmou que o Pronampe deverá atender o setor de bares e restaurantes, um dos que mais têm sido afetados pela crise
-Publicidade-
Presidente Jair Bolsonaro | Foto: Isac Nóbrega/PR
Presidente Jair Bolsonaro | Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 25, que o governo deve reeditar o programa que permite a redução de jornadas e salários ou suspensão do contrato de trabalho. O programa vigorou até o final do ano passado e, segundo o governo, ajudou a preservar cerca de 10,2 milhões de empregos e mais de 1,5 milhão de empresas.

Bolsonaro também afirmou que o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) deverá atender o setor de bares e restaurantes, um dos que mais têm sido afetados pela crise.

-Publicidade-

Leia mais: “Bolsonaro: ‘Fechamento de empresas parte diretamente de quem pratica o lockdown’”

As duas medidas se somam à retomada do auxílio emergencial, também citada pelo presidente em seu discurso, e que dessa vez deve atender cerca de 45,6 milhões de famílias ao custo de R$ 43 bilhões.

As declarações foram dadas no Palácio do Planalto durante o anúncio de uma nova linha de crédito da Caixa Econômica Federal para as Santas Casas e demais hospitais filantrópicos.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

  1. Que tranquilidade! Nem parece que estamos em lockdown. Quando sair a suspensão não haverá mais empresas e nem empregos. Outra coisa: o Pronampe é para poucos. Na primeira fase o bancos exigiam reciprocidade. Não acredito que será diferente agora.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.