Contrato de concessão da BR-101 em SC é assinado pelo governo

Contrato de concessão da BR-101 em SC é assinado pelo governo.
-Publicidade-
Tarcísio Gomes de Freitas comemora concessão de parte da BR-101 em Santa Catarina | Foto: Pedro França/Agência Senado
Tarcísio Gomes de Freitas comemora concessão de parte da BR-101 em Santa Catarina | Foto: Pedro França/Agência Senado | tarcísio gomes de freitas, ministério da infraestrutura, santa catarina, ccr, br-101

Antes do início da cobrança de pedágio, a concessionária precisa executar obras para a adoção de padrões mínimos de segurança na rodovia

tarcísio gomes de freitas, ministério da infraestrutura, santa catarina, ccr, br-101
Tarcísio Gomes de Freitas comemora concessão de parte da BR-101 em Santa Catarina | Foto: Pedro França/Agência Senado

O governo federal assinou nesta segunda-feira o contrato de concessão da BR-101/SC – Palhoça-Divisa com Rio Grande do Sul, com a Concessionária Catarinense de Rodovias S.A (CCR).

-Publicidade-

O trecho concedido tem 220 quilômetros de extensão e foi arrematado com  uma proposta de tarifa de pedágio de R$ 1,97012, com deságio de 62% em relação à tarifa máxima determinada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), de R$ 5,19. A duração do contrato é de 30 anos.

Estão previstos investimentos de R$ 3,4 bilhões e custos operacionais de R$ 4 bilhões durante o período de vigência da concessão.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que o contrato mostra que os investidores têm demonstrado  interesse nos projetos de concessão do governo.

“Quem pensa que o interesse do investidor foi embora, está equivocado. Veremos licitações extremamente atrativas e competitivas”, comemorou o ministro.

De acordo com Freitas, os ativos estão sendo estudados por operadores de infraestrutura do mundo inteiro.

Desta forma,  os leilões devem ser bem sucedidos, com muito investimento, melhoria na prestação de serviços e empregos.

No total, o projeto prevê a implantação de quatro praças de pedágios.

O contrato prevê que em seis meses a concessionária oferte os serviços operacionais como socorro mecânico, atendimento médico de emergência e comunicação ao usuário.

Antes do início da cobrança de pedágio, previsto para ocorrer após o primeiro ano, a concessionária deve executar obras para a adoção de padrões mínimos de segurança.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.