Alberto Fernández acusa o Brasil de ser negligente no combate ao coronavírus

A estratégia do peronista para enfrentar a covid-19 consiste em isolamento social radical, liberação de presos e aumento de gastos públicos
-Publicidade-
O presidente da Argentina, Alberto Fernández | Foto: DIVULGAÇÃO/FOTOARENA
O presidente da Argentina, Alberto Fernández | Foto: DIVULGAÇÃO/FOTOARENA

A estratégia do peronista para enfrentar a covid-19 consiste em isolamento social radical, liberação de presos e aumento de gastos públicos

O presidente da Argentina, Alberto Fernández | Foto: DIVULGAÇÃO/FOTOARENA

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, afirmou que está preocupado com o “desleixo e a negligência do Brasil” no enfrentamento à covid-19. E aproveitou para criticar o governo Bolsonaro.

-Publicidade-

“Eu não entendo como agem com tanta irresponsabilidade. Na Argentina, entram muitos caminhões brasileiros que vêm de São Paulo, o lugar mais infectado do Brasil”, disse Fernández à Rádio Con Vos.

Segundo ele, Bolsonaro tem adotado as políticas erradas. Ademais, o presidente brasileiro supostamente não entende a dimensão da pandemia. “Desse jeito, o Brasil vai entrar na espiral de contágios da Espanha e da Itália”.

Estratégia peronista

A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, e o presidente da Argentina, Alberto Fernández | Foto: AMILCAR ORFALI/ GETTY IMAGES

Para o parceiro de Cristina Kirchner, a melhor forma de combater o vírus chinês consiste em isolamento social radical, liberação de presos e aumento de gastos públicos. Em síntese, o mais do mesmo.

Em 15 de março, por exemplo, o peronista impôs a quarentena obrigatória para todos que regressavam à Argentina. Quem descumprisse, pagaria multa de até 100 mil pesos (cerca de R$ 8,5 mil) e poderia pegar de 6 meses a 2 anos de prisão.

Cinco dias depois, decretou o confinamento para todos. Recentemente, apoiou a soltura de mais de 1.700 detentos. Muitos cometeram crimes graves, como estupro, pedofilia e tortura durante a ditadura argentina.

Economia à la Kirchner

Casa Rosada, a sede do governo da Argentina | Foto: GINO LUCAS/WIKIMEDIA

Conforme noticiou Oeste, os três principais detentores de títulos públicos da Argentina rejeitaram uma proposta do governo federal para renegociar a dívida externa do país no valor de US$ 65 bilhões (o equivalente a R$ 361 bilhões).

Caso não haja consenso entre as partes, que demonstram intransigência, o país pode dar um calote pela nona vez. Além disso, em abril, Fernández deixou as negociações para os novos tratados de livre comércio do Mercosul.

Sendo assim, o governo argentino paralisou o bloco econômico. Isso porque, pelas atuais regras da união aduaneira, todos os países precisam aprovar, juntos, determinada decisão sem que um possa avançar sozinho.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

12 comentários Ver comentários

  1. Veremos qual governo foi negligente após a pandemia!
    Ele só se esqueceu de que o povo não morre só pelo COVID, mas também morre de fome…..

  2. Não aprovo o sua direção política,mas nesse caso,ele tem razão.
    O Presidente Bolsonaro finge que o VOVID-19 não existe,pois prefere proteger os filhos que fizeram e fazem M.

    1. Essa lenga lenga de proteger os filhos cansa….proteger de que, Jussara? O investigado, há 18 meses, é o Flávio… e pelo MP do Rio… por que ainda não denunciaram? Para de repetir mentiras

      1. Os argentinos vão ver o que os espera com esse peronista idiota como Presidente. Uma pista, olhem para a Venezuela.

  3. É muito simples, basta que o “el milongero” feche as portas de sua espelunca, proibindo a entrada dos caminhões, que o p problema dele estará resolvido rapidamente. O que o impede a isso? Eu não sei.

  4. Argentina ja tava falida agora com esse governo vai sim cair numa ruina sem precedente no pais e se os argentinos nao tomarem uma atitude drastica vao sim virar uma segunda venezuela.

  5. Desleixo e negligência está fazendo ele com o povo argentino, que resolveram apostar nestes pulhas novamente. Que paguem por isto e aprendam a votar melhor.

    1. Esse cara é mais um marginal fora-da-lei O Exterminador do Futuro.Mandar todo mundo ficar em casa por meses é um plano assassino. Mais letal que o pior cenário imaginável para a epidemia do vírus chinês
      Ou também podemos chamar vírus do amor dos prefeitos e governadores marginais fora da lei..

      O medo mata mas que a doença , como se sabe desde o tempo das cavernas, é um mal contagioso; espalha-se com a rapidez dos piores vírus!!??!! Isso é Assustador, Único vírus que eu conheço é a economia sendo devastada por Dória e sua quadrilha de governadores de marginais que frequentam os galhos mais altos de ditaduras africanas e outros regimes fora-da-lei

    2. Parece que o Presidente da Argentina já aceitou o financiamento de George Soros para “ajudar o país”. Soros fez várias e absurdas exigências e uma delas é criticar e ajudar a derrubar Jair Bolsonaro. Pelo visto, já começou a seguir a cartilha… ?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.