Alec Baldwin: ‘Não puxei o gatilho’

Disparo com munição real no set de filmagens matou a diretora de fotografia do filme Rust, Halyna Hutchins, em outubro
-Publicidade-
Alec Baldwin concedeu entrevista em que falou sobre o incidente que matou diretora de fotografia do filme <i>Rust</i>
Alec Baldwin concedeu entrevista em que falou sobre o incidente que matou diretora de fotografia do filme Rust | Foto: Reprodução/Flickr

O ator Alec Baldwin disse, em entrevista à ABC na quarta-feira 1º, que não puxou o gatilho da arma cujo disparo matou a diretora de fotografia do filme Rust, Halyna Hutchins, em outubro.

Na ocasião, um disparo acidental de uma arma cenográfica vitimou Hutchins, de 42 anos, e feriu o diretor do filme, Joel Souza, de 48 anos. Hutchins chegou a ser levada de helicóptero a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Souza, por sua vez, foi atingido no ombro.

“O gatilho não foi puxado. Eu não puxei o gatilho”, afirmou o ator em entrevista ao jornalista George Stephanopoulos. “Eu nunca apontaria uma arma para ninguém nem puxaria o gatilho. Nunca”, completou Baldwin.

-Publicidade-

Na entrevista, o ator classificou o episódio como um “trágico incidente”. Baldwin afirmou ainda não saber como a munição real foi colocada no set de filmagens.

“Ele está arrasado, mas também foi muito franco, muito aberto. Ele respondeu a todas as perguntas”, comentou o jornalista. A íntegra da entrevista com Baldwin será exibida pela ABC nesta quinta-feira, 2.

O técnico-chefe de iluminação do filme Rust, Serge Svetnoy, abriu um processo contra Baldwin. Na petição, Svetnoy afirma que o incidente “foi causado por atos de negligência e omissões” do ator.

“Não havia nenhum motivo para colocar uma bala de verdade naquele revólver ou para que ele estivesse no set de Rust. A presença de uma bala em um revólver representava uma ameaça letal para todos ao redor”, diz a ação protocolada em um tribunal de Los Angeles.

Com informações da CNN e da Reuters

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. e obvio juiz, que neste caso, temos o costumeiro caso onde Maria do Rosario já havia profetizado, as armas matam, eles se rebelaram contra o homem, e em especial cntra alec baldwin, ela pulou de sua posição de descanso, se empunhou perfeitamente, e com o jeito indecente que apenas um revolver coult pode ter, aliciou o dedo da vitima a que roçasse seu proeminente gatilho, ensejando assim no disparo que todos sabem, foi um crime de ódio contra a humanidade. Proclamo assim, as armas inimigas da humanidade.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.