Ameaçado e perseguido pela polícia, correspondente da BBC deixa a China

John Sudworth afirma que foi 'ameaçado de todas as formas', vigiado e intimidado por autoridades chinesas; ele agora trabalhará em Taiwan
-Publicidade-
Correspondente da BBC em Pequim deixou a China por questões de segurança
Correspondente da BBC em Pequim deixou a China por questões de segurança | Foto: Divulgação/BBC

O jornalista John Sudworth, correspondente da BBC em Pequim, deixou a China após sofrer uma série de ameaças e ser perseguido por policiais. Segundo o próprio repórter, a decisão foi tomada para que ele e sua família ficassem em segurança. Sudworth continua na emissora britânica, mas a partir de agora ficará sediado em Taiwan.

Leia também: “Reino Unido peita a China e põe pressão por asfixia a Hong Kong”

-Publicidade-

“Como resultado desses riscos e das dificuldades crescentes, depois de tolerar isso por tanto tempo, tomamos a decisão de que deveríamos nos mudar”, disse o correspondente em entrevista à BBC Radio. Ele já está em Taipei, onde cumpre uma quarentena obrigatória de 14 dias em função da pandemia de covid-19.

Leia mais: “14 países repudiam influência da China em relatório da OMS”

“A BBC enfrenta um ataque de propaganda em massa, não apenas contra a própria organização, mas contra mim pessoalmente, por meio de várias plataformas controladas pelo Partido Comunista Chinês”, acusou Sudworth. “Fomos ameaçados de todas as formas e também vigiados, obstruídos e intimidados, sempre que tentávamos filmar alguma coisa”, completou, relatando ainda que foi perseguido por “policiais à paisana”.

Leia também: “China ocultou dados da origem da covid-19, admite OMS”

No ano passado, pelo menos 18 correspondentes internacionais foram expulsos da China. Pequim, obviamente, nega as acusações do jornalista. Segundo o regime chinês, Sudworth “tem sido fortemente criticado por suas reportagens injustas, não objetivas e tendenciosas” sobre o país.

*Com informações da BBC e de agências internacionais

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.