Biden minimiza inflação dos EUA

"Vamos colocar os números em perspectiva", disse o presidente norte-americano

A Oeste depende dos assinantes. Assine!

-Publicidade-
Em agosto deste ano, o índice de preços ao consumidor (CPI) foi 8,3%, em relação ao mesmo mês do ano passado
Em agosto deste ano, o índice de preços ao consumidor (CPI) foi 8,3%, em relação ao mesmo mês do ano passado | Foto: Gints Ivuskans/Shutterstock

Durante entrevista que foi ao ar no domingo 18, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, tentou minimizar as taxas de inflação disparadas na sua gestão, dizendo que as pessoas precisam colocar as coisas em “perspectiva”. Em agosto deste ano, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) foi 8,3% maior em relação ao mesmo mês do ano passado.

A afirmação foi feita após questionamento do apresentador do programa 60 Minutes, Scott Pelley, do canal CBS News. “Presidente, como sabe, nos últimos dias, a taxa de inflação anual foi para 8,3%. O mercado de ações despencou. As pessoas ficam chocadas com suas contas de supermercado. O que você pode fazer melhor e mais rápido para combater esse cenário?”

-Publicidade-

“Bem, antes de tudo, vamos colocar a inflação em perspectiva”, respondeu Biden, que rapidamente foi interrompido por Pelley. “Você não está argumentando que 8,3% é uma boa notícia”, questionou o apresentador ao presidente norte-americano.

“Não, não estou dizendo que é uma boa notícia”, disse o líder dos EUA. “Mas estamos em uma posição em que, nos últimos meses, a inflação não aumentou. Ela tem sido basicamente igual.”

“É a taxa de inflação mais alta em 40 anos, senhor presidente”, replicou o apresentador.

“Sim, mas nesse meio tempo, criamos milhões de empregos, fizemos grandes investimentos e nossa indústria está se fortalecendo”, disse Biden. “Estamos passando por um processo.”

“EUA não estão em recessão”

Em agosto deste ano, Joe Biden havia dito que os Estados Unidos não estavam em recessão. “O que estamos passando não soa como uma recessão para mim”, disse Biden, em entrevista coletiva na Casa Branca.

Os dados do Departamento de Comércio do país, no entanto, mostraram o contrário. Segundo dados divulgados pelo Departamento de Comércio no fim de julho de 2022, o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA caiu 0,9% no segundo trimestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. De janeiro a março deste ano, o PIB contraiu 1,6%. Com isso, o país entra na chamada recessão técnica — quando há dois trimestres consecutivos negativos. 

Os EUA, entretanto, não usam essa definição. O país usa como base a análise de um grupo de pesquisadores que faz uma pesquisa mais ampla para caracterizar um cenário de recessão. A avaliação oficial é feita pelo Escritório Nacional de Pesquisas Econômicas. Ainda assim, essa queda consecutiva em dois trimestres é vista como um forte indicativo pelo mercado.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Este tiozinho é o sonho do sistema, o maluco é uma caixa velha onde ñ tem mais nada ali dentro. O sujeito está sendo conduzido a fazer o que eles querem e qdo está muito zoado e tiozinho aparece e simplesmente diz “é, temos que ver isso aí”. Mano, isso é o sonho do sistema corrupto. Nunca imaginei ver os EUA passando por isso.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.