Bielorrússia diz que pode ter ajudado imigrantes ilegais a entrar na Polônia

Alexander Lukashenko admite à BBC que é "absolutamente possível" que suas tropas ajudaram imigrantes a entrar ilegalmente na Polônia
-Publicidade-
Alexander Lukashenko diz que suas tropas podem ter ajudado imigrantes a entrar ilegalmente na Europa
Alexander Lukashenko diz que suas tropas podem ter ajudado imigrantes a entrar ilegalmente na Europa | Foto: Reprodução/Flickr

O presidente da Bielorrússia Alexander Lukashenko afirmou em uma entrevista à BBC que é “absolutamente possível” que suas forças tenham ajudado imigrantes ilegais do Oriente Médio a entrar na Polônia.

A afirmação acontece em um momento de escalada das tensões entre a União Europeia e a Bielorrússia devido à crise migratória. Os europeus acusam o governo bielorrusso de ter incentivado os imigrantes a se dirigirem à Bielorrússia prometendo uma entrada fácil no bloco europeu pela Polônia. Lukashenko é um grande aliado da Rússia, que também vem recebendo sanções dos países ocidentais.

A acusação é que ele tenha usado os imigrantes para causar o caos na fronteira europeia. Mas, Lukashenko disse à BBC que seu país não convidou os imigrantes para se dirigirem à Bielorrússia. Ele afirmou saber que os imigrantes não desejavam ficar em seu país, mas sim chegar à Alemanha. Disse ainda que não desejava que seu país fosse escolhido como rota.

-Publicidade-

A maioria dos imigrantes ilegais vêm do Afeganistão, recém retomado pelo Talibã,  do Iraque e de outros países do Oriente Médio. Milhares deles foram impedidos de entrar na fronteira polonesa e passaram semanas acampados e expostos a temperaturas muito baixas.

Eles foram levados recentemente para abrigos na Bielorrússia. Muitos estão sendo repatriados para seus países, mas acredita-se que pelo menos 5.000 ainda estejam na Bielorrússia.

Lukashenko foi acusado por autoridades europeias de orquestrar a crise de imigração porque seu país sofreu sanções após forçar o pouso de um avião comercial em Minsk para prender um crítico do governo.

Agressões a manifestantes

A líder da oposição bielorrussa, Svetlana Tikhanovskaya, que teve que deixar o país criticou a BBC por dar voz a “um ditador”.

Lukashenko foi questionado pela emissora britânica sobre manifestantes bielorrussos presos em protestos terem sido vistos saindo de centros de detenção com hematomas e ferimentos. O presidente afirmou: “Ok, Ok, eu admito”. Mas disse que policiais também teriam sido feridos e ninguém deu atenção a isso.

Leia também: “Bielorússia ameaça cortar gás da Europa para evitar mais sanções”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.