China quer alcançar EUA e Rússia em capacidade nuclear, confirma Pentágono 

Arsenal chinês pode "triplicar ou quadruplicar" até o final da década
-Publicidade-
País asiático investe em armas nucleares
País asiático investe em armas nucleares | Foto: Agência Brasil/Divulgação

Segunda relatório anual divulgado pelo Pentágono, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos, a China caminha para se tornar uma potência nuclear em breve. A meta dos chineses é alcançar, ou até superar, os Estados Unidos e a Rússia no segmento.

No ano passado, já havia sido divulgado, também pelo Pentágono, que o país asiático dobraria seu atual arsenal nuclear, de aproximadamente 200 ogivas, até o final da década.

-Publicidade-

O relatório da força militar chinesa divulgado nesta semana confirma que Pequim poderia ter 700 ogivas até 2027, e pelo menos 1 mil até o final da década. O almirante Charles Richard, comandante do Comando Estratégico dos EUA, disse no início do ano que o arsenal chinês pode “triplicar ou quadruplicar” no mesmo período. O comunicado também confirma a construção de três novos campos de silos de mísseis nucleares e que a China “está à beira de uma grande expansão da força [de mísseis balísticos intercontinentais] baseada em silos, comparável à empreendida por outras grandes potências”.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.