China se alinha à Rússia e manda recado para Biden

'Exigências de Moscou devem ser levadas a sério e resolvidas', disse o chanceler chinês, Wang Yi
-Publicidade-
O secretário-geral do PCC, Xi Jinping, e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em 2018 | Foto: Mikhail Klimentyev/Russian Presidential Press and Information Office/TASS
O secretário-geral do PCC, Xi Jinping, e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em 2018 | Foto: Mikhail Klimentyev/Russian Presidential Press and Information Office/TASS

O Partido Comunista da China (PCC) se alinhou a Moscou nesta quinta-feira, 27, em meio ao confronto entre a Rússia e a Ucrânia. Trata-se da primeira vez que a ditadura se posiciona. Durante uma ligação telefônica, o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, pediu ao chanceler dos Estados Unidos, Antony Blinken, que atenda às demandas feitas pelos russos.

“As razoáveis preocupações de segurança da Rússia devem ser levadas a sério e resolvidas”, disse Wang Yi a Blinken, ao acusar os russos e os norte-americanos de “mentalidade de Guerra Fria”. “A segurança regional não pode ser garantida pelo fortalecimento ou, inclusive, a expansão dos blocos militares”, acrescentou Wang Yi, em referência à mobilização de tropas da Otan.

Conforme noticiou a Revista Oeste, a Otan mandou aviões e navios para o Leste Europeu, com a finalidade de contrabalançar a concentração de tropas russas na fronteira com a Ucrânia. Os movimentos irritaram o bloco russo-chinês. Os russos, por outro lado, negaram que estejam tentando invadir a Ucrânia, mas, sim, proteger suas terras do imperialismo norte-americano.

-Publicidade-

Na ligação com Blinken, Wang Yi aproveitou para atacar os EUA, falou em preconceito e exigiu que Washington “pare de interferir” nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, além de “parar de brincar com o fogo” na questão de Taiwan. Apoiada pelos EUA, a ilha asiática está sob cerco chinês. O PCC garante que sua meta é a reunificação do arquipélago ao território chinês.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

21 comentários Ver comentários

  1. O povo americano também abriu mão de sua democracia…por lá a esquerda cria a mesma zona que fazem por aqui..e agora é tarde por lá também. A decadência moral americana não condiz mais com a maior potência mundial. O mundo está de joelhos a China e os comunistas que nada produzem

  2. kkk. Vai ser divertido ver o ladrão de eleição, ele e a vagabunda da vice, irem chorar para os drogadinhos das big-techs! Vai ser a hora de Os Estados Unidos passarem vergonha e a coisa sobrar para os republicanos consertarem, os homens de verdade! Só para variar!

  3. Biden foi cutucar a Rússia com qual objetivo? Súbito amor pela Ucrânia? Claro que a Rússia não pode assistir um cerco crescente às suas fronteiras. Já não basta a desgraça da Covid-19 sobre o mundo? Biden quer criar mais tensões?

    1. Metacapitalistas de Soros&Cia, Aliança Sino-Russa, e Movimento Islãmico = Eixo Eurasiano…Tal espectro ronda a civilização judaíco-cristã.

  4. Quais as chances de um alinhamento da Venezuela forjar uma extensão do conflito para as Américas e, eventualmente, forçar o Brasil a tomar um lado nessa disputa cheia de alianças que remete ao pré guerra do início do século XX?

    1. O Brasil vive um momento delicado nas relações internacionais. A Russia está fornecendo o fosfato, que está em falta nomundo todo, garantindo a fertilização das nosss lavouras, assim como também comprou o excedente de carne que a China deixou de comprar do Brasil. Enquanto isso, o Brasil tem tido apoio americano no combate ao narcotráfico, recebeu decisivo apoio para assumir uma cadeira de grande importância na ONU (Conselho de Segurança), além de firmarem vários acordos comerciais que favorecem e facilitam o comercio exterior nacional, e queerem o Brasil ao seu lado para combater a influência chinesa do mundo. Os americanos tem cobrado um alinhamento mais claro do Brasil com a política americana. A sinuca diplomática está na mesa!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.