Cientistas pedem nova investigação sobre origem da covid-19

Diretor da OMS admitiu que o relatório produzido pela equipe da entidade enviada à China foi insuficiente
-Publicidade-
O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom
O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom | Foto: Reprodução/OMS

Nesta sexta-feira, 14, a revista Science, especializada em ciência, publicou uma carta assinada por pesquisadores internacionais pedindo transparência nos estudos relacionados à origem do coronavírus Sars-CoV-2, o causador da covid-19. O texto destaca que o próprio diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, admitiu que o relatório produzido pela equipe da entidade enviada à China foi insuficiente — apenas quatro das 313 páginas do documento abordavam a possibilidade de o vírus ter vazado de um laboratório.

Leia também: “O que a China e Anthony Fauci têm a ver com a origem do coronavírus?”

“Como cientistas com experiência relevante, concordamos com o diretor-geral da OMS, com os Estados Unidos, 13 outros países e a União Europeia em que uma maior clareza sobre as origens desta pandemia é necessária e viável”, escreve o grupo. “Devemos levar a sério as hipóteses sobre os transbordamentos naturais e laboratoriais até que tenhamos dados suficientes. Uma investigação adequada deve ser transparente, objetiva, baseada em dados, incluindo ampla experiência, sujeita a supervisão independente e gerida de forma responsável para minimizar o impacto de conflitos de interesse.”

-Publicidade-

O documento destaca ainda que “foram médicos, cientistas, jornalistas e cidadãos chineses que compartilharam com o mundo informações cruciais sobre a propagação do vírus — frequentemente com grande custo pessoal”, e complementa: “Saber como a covid-19 surgiu é fundamental para definir as estratégias globais e mitigar o risco de surtos futuros”.

A carta é assinada por profissionais que atuam em centros de referência mundial em pesquisa científica, como as universidades norte-americanas de Harvard, Stanford, Yale, da Califórnia e do Arizona, além da britânica Cambridge e da Universidade de Toronto, no Canadá.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

12 comentários

  1. Isto é desnecessário. Todo mundo sabe que foi o Bolsonaro que espalhou o vírus. Tem até CPI para investigar aqui no Brasil. A CPI gostaria de investigar os chineses, mas diplomaticamente não é possível.

  2. China ,Oms,Onu,Ongs todos farinhas do mesmo SACO. Sem credibilidade nenhuma. Os dados da CHINA são como loteria 1 em 1 milhão em credibilidade. Como dizemos é CHINGUE LING.

  3. Outro relatório, já que o primeiro não valeu? Rsrsr! Se houver um mínimo compromisso da OMS com qualquer princípio científico ou mesmo de decência básica, a primeira providência seria dar um belo pé na bunda desse palhaço do Tedros Adhanom. Que arrume um novo emprego como menestrel do Xi Jinping, papel que desempenha tão bem.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro