Colômbia e Maduro oficializam retomada de relações diplomáticas

Governo anterior, do direitista Ivan Duque, reconhecia apenas o presidente interino Juan Guaidó como legítimo no país

A Oeste depende dos assinantes. Assine!

-Publicidade-
O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Rander Peña Ramírez, com Armando Benedetti
O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Rander Peña Ramírez, com Armando Benedetti | Foto: Reprodução/Twitter

A chegada do embaixador colombiano Armando Benedetti à Venezuela, no domingo 28, marcou oficialmente a retomada das relações diplomáticas entre os dois países, rompidas há três anos, quando a Colômbia, então sob o governo do presidente colombiano de direita, Ivan Duque, reconheceu o líder da oposição venezuelana Juan Guaidó como presidente do país vizinho, e não a eleição de Nicolás Maduro.

Nomeado por Gustavo Petro, que tomou posse no começo de agosto como primeiro presidente esquerdista da história da Colômbia, Benedetti, ex-senador e investigado por suposto recebimento de propina da construtora brasileira Odebrecht, mas absolvido pela Justiça colombiana, disse em seu perfil pessoal no Twitter: “As relações com a Venezuela nunca deveriam ter sido cortadas, somos irmãos e uma linha imaginária não pode nos separar.”

O novo embaixador publicou a postagem do governo colombiano.

-Publicidade-

Segundo o diplomata, mais de 8 milhões de colombianos vivem do comércio bilateral com a Venezuela. Um dos objetivos dessa retomada das relações é restabelecer as relações comerciais entre os dois países. Venezuela e Colômbia anunciaram em 11 de agosto sua intenção de trocar embaixadores.

A retomada das relações diplomáticas também prevê a reabertura completa da fronteira de mais de 2 mil quilômetros, totalmente fechada para veículos desde 2015 e reaberta apenas para pedestres desde o fim de 2021. Caracas e Bogotá também contam restaurar suas relações militares.

A Câmara de Comércio entre os dois países prevê um comércio de US$ 800 milhões a US$ 1,2 bilhão  (de R$ 4 bilhões a R$ 6 bilhões) em 2022, depois de atingir cerca de US$ 400 milhões (R$ 2 bilhões) no ano passado.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Ahora es solamente esperar la vitoria de lula da Silva para que nosotros possamos meter las manos en el BNDS de Brasil, en lo dinero dos brasilenos otários, pelotudos e llenar nuestro cool de grana.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.