Como a esquerda promove o pânico da ‘cultura do estupro’ nas escolas

Joanna Williams explica, em artigo publicado na Edição 59 da Revista Oeste, como falsas campanhas prejudicam o combate ao assédio
-Publicidade-
Escolas britânicas também são vítimas do progressismo
Escolas britânicas também são vítimas do progressismo | Foto: Reprodução/Mídias Sociais

Em artigo publicado na Edição 59 da Revista Oeste, a colunista Joanna Williams explica como as escolas do Reino Unido promovem o pânico da “cultura do estupro”, uma campanha falsa que não contribui em nada com o combate ao sexismo, à misoginia e ao assédio.

Leia um trecho

“As escolas podem ter reaberto aqui no Reino Unido, mas muitas já estão envolvidas em um escândalo. Pipocam nas escolas particulares histórias que expõem e condenam a ‘cultura do estupro’, aparentemente desenfreada. Esse é o ‘momento #MeToo’ do setor da educação, um longo acerto de contas tardio, os ativistas nos dizem — uma chance de enfrentar o sexismo, a misoginia e o assédio que supostamente assolam as salas de aula mais caras do país.

-Publicidade-

O ‘momento’ começou com o Everyone’s Invited, um site e uma conta de Instagram lançados no ano passado e que reúnem ‘relatos de sobreviventes’. De início, suas páginas estavam cheias de alunas de escolas privadas detalhando tudo — de supostos estupros e agressões sexuais até piadas e insultos de cunho sexual. Alimentado pela cruzada da cobertura ‘progressista’ da mídia, o interesse no tema disparou. Agora, perto de 8 mil incidentes foram registrados no site, enquanto o perfil no Instagram chegou a cerca de 37 mil seguidores — número não desprezível no Reino Unido.”

Gostou? Dê uma olhada no conteúdo abaixo.

Revista Oeste

A Edição 59 da Revista Oeste vai além da coluna de Joanna Williams sobre o pânico da “cultura do estupro” nas escolas do Reino Unido. A publicação digital conta com reportagens especiais e artigos de J. R. Guzzo, Augusto Nunes, Silvio Navarro, Rodrigo Constantino, Evaristo de Miranda, Branca Nunes, Guilherme Fiuza, Dagomir Marquezi, Ana Paula Henkel e Theodore Dalrymple.

Startup de jornalismo on-line, a Revista Oeste está no ar desde março de 2020. Sem aceitar anúncios de órgãos públicos, o projeto é financiado diretamente por seus assinantes. Para fazer parte da comunidade que apoia a publicação digital que defende a liberdade e o liberalismo econômico, basta clicar aqui, escolher o plano e seguir os passos indicados.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro