Coreia do Sul perdoa presidente condenada a 20 anos de prisão

Park Geun-hye foi detida e enviada para a prisão em 2017, depois de ser afastada do cargo após escândalo no governo
-Publicidade-
A ex-presidente Park Geun-hye foi condenada por corrupção e outros crimes
A ex-presidente Park Geun-hye foi condenada por corrupção e outros crimes | Foto: Reprodução/Redes Sociais

A Coreia do Sul informou nesta sexta-feira, 24, que concederá um perdão especial à ex-presidente Park Geun-hye, que está cumprindo uma longa pena de prisão por suborno e outros crimes.

O Ministério da Justiça afirmou em nota que o perdão de Park visa superar as divisões nacionais e promover a unidade diante das dificuldades causadas pela pandemia de coronavírus.

Park foi detida e enviada para a prisão em 2017, depois de ser afastada do cargo após um escândalo de corrupção desencadear meses de grandes protestos de rua.

-Publicidade-

Sua destituição marcou uma queda impressionante em desgraça para a primeira presidente mulher e ícone conservador.

Em janeiro, a Suprema Corte da Coreia do Sul manteve sua pena de prisão de 20 anos.

Park é filha do presidente autoritário Park Chung-hee, assassinado no cargo em 1979. Ela foi eleita no fim de 2012 em uma onda de apoio dos conservadores que celebram seu pai como um herói que tirou o país da pobreza apesar da supressão dos direitos civis.

Ela foi cassada por legisladores em dezembro de 2016 e formalmente removida em março de 2017, depois que o Tribunal Constitucional manteve o impeachment.

Entre as principais acusações que ela enfrentou estava o conluio com sua confidente de longa data, Choi Soon-sil, para receber milhões de dólares em subornos e extorsão de alguns dos maiores grupos empresariais do país, incluindo a Samsung, enquanto ela estava no cargo.

“Incluímos a ex-presidente Park para superar a infeliz história passada, perceber a unidade das pessoas e fornecer uma chance de dar um novo passo em direção ao futuro”, disse o ministro da Justiça, Park Beom-Kye, em uma entrevista coletiva.

A decisão foi tomada em um momento em que muitos apoiadores e políticos do principal partido conservador, o Poder do Povo, pediram o perdão de Park por corrupção antes da eleição presidencial de março.

Os legisladores da oposição disseram que Park teve problemas de saúde enquanto estava na prisão, incluindo ter de ser submetida a uma cirurgia no ombro.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Com certeza o Ministério da Justiça de lá consultou os excrementos do STF daqui para esse indulto! Em matéria de conceder impunidade aos marginais e atodo o tipo que não presta, os nossos pseudojuízes são autoridade máxima universal!

  2. O mundo vive uma onda de impunidade.
    A geração frouxa, mimada e imatura pensa equivocadamente que marginais são vítimas, doentes e que não sabem o que fazem. É vergonhoso ver que meus semelhantes são tão lenientes com os próprios que podem os destruir. Bandido bom é bandido *****.

  3. Oeste, Pelo Amor de Deus! Respeitem seus leitores e escrevam direito. A manchete desta matéria faz doer os olhos.
    “… condenada HÁ 20 anos”

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.