Erdogan conversa com Suécia e Finlândia sobre adesão à Otan

Diálogo ocorre dias depois de o presidente turco declarar sua resistência ao ingresso dos países nórdicos na aliança
-Publicidade-
Recep Tayyip Erdogan, o presidente da Turquia
Recep Tayyip Erdogan, o presidente da Turquia | Foto: Reprodução/Pixabay

Alguns dias depois de manifestar abertamente sua resistência à adesão da Suécia e da Finlândia à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, conversou no sábado 21 de maio com os líderes de ambos os países.

Estocolmo e Helsinki oficializaram o pedido de entrada na aliança militar ocidental nesta semana, como resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia. Ankara, que mantém relação próxima com o Kremlin, alega que os postulantes à Otan abrigam pessoas ligadas a grupos terroristas.

Segundo a agência turca Anadolu, Erdogan disse à primeira-ministra da Suécia, Magdalena Andersson, que espera medidas concretas em relação a suas preocupações com as organizações que Ankara considera terroristas. De acordo com essa versão, o país abriga militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e seguidores do clérigo Fethullah Gulen, acusado de orquestrar um golpe de Estado em 2016.

-Publicidade-

Erdogan também exige o fim de um embargo de exportação de armas imposto por Estocolmo em 2019. Anderson, por sua vez, disse que espera fortalecer as relações bilaterais em temas como “paz, segurança e luta contra o terrorismo”.

Já o presidente da Finlândia, Sauli Niinistö, informou ter tido uma conversa “aberta e direta” com o líder turco. “Afirmei que, como aliados da Otan, a Finlândia e a Turquia se comprometerão com a segurança uma da outra”, tuitou. “A Finlândia condena o terrorismo em todas as suas formas e manifestações. O diálogo continua.”

Ankara repetiu aos finlandeses aquilo que havia dito aos suecos: Helsinki faz vista grossa e não combate os terroristas perigosos que estão no país. Isso, segundo Erdogan, não condiz com a postura de um integrante da Otan.

A decisão sobre os pedidos da Suécia e da Finlândia deverá ocorrer em junho, quando a cúpula da aliança militar deverá se encontrar em Madri, na Espanha.

O leitor pode compreender as razões da resistência turca ao ingresso de suecos e finlandeses na Otan ao clicar neste link.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.