Fãs de Ana de Armas processam Universal Pictures

Conor Woulfe e Peter Michael Rosza entraram com uma ação contra o estúdio, por terem cortado a atriz do filme Yesterday
-Publicidade-
Ana Celia de Armas, atriz cubana
Ana Celia de Armas, atriz cubana | Foto: Divulgação/ Redes Sociais

Conor Woulfe e Peter Michael Rosza, dois fãs da atriz Ana de Armas estão processando a Universal Pictures por terem sido supostamente enganados. Eles afirmam que o estúdio fez propaganda enganosa ao colocar o nome da artista no material de divulgação do filme Yesterday. Além disso, mesmo a atriz cubana tendo aparecido nos trailers do filme, dirigido por Danny Boyle em 2019, ela foi cortada da versão final do longa-metragem.

Os fãs entraram com uma ação coletiva nos Estados Unidos na sexta-feira 21, de acordo com as informações divulgadas pelo site de notícias Variety. Woulfe e Rosza falaram que só alugaram o filme porque a “publicidade falsa, enganosa e enganosa” da Universal afirmava que a atriz apareceria. Os queixosos ainda alegam que o estúdio usou a fama e o brilho de De Armas para promover a produção.

Foto: reprodução YouTube
-Publicidade-

Something para Ana de Armas

A história do filme: o aspirante a cantor e compositor chamado Jack Malik (Himesh Patel), descobre ser a única pessoa no mundo que lembra dos Beatles. Jack então ganha fama mundial tocando as músicas dos Beatles, como se fosse ele o compositor. Durante um programa de entrevistas, ele é chamado a compor “alguma coisa” para uma atriz convidada, interpretada por Ana de Armas. Jack canta para ela Something, o clássico de George Harrison para o Álbum Branco, dos Beatles. Esta é a cena cortada:

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. A matéria não explica o porque da atriz ter sido cortada do filme.
    Something é uma das músicas do álbum Abbey Road, e não do White Album.

  2. Só me faltava esse golpe nos filmes, colocar gente que não aparece, pois nos jogos de video game e pc eles já colocam imagens renderizadas na propaganda, fotos ultra realistas e quando você vai jogar aquela maravilha o jogo não tem nada haver, e muito menos é capaz de produzir tamanha beleza. Da uma revolta e quando tem jeito de devolver agente devolve e reclama, deviamos processá-los por propaganda enganosa mesmo!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.