Governo chileno condena violência em manifestações

50 atos foram organizados e se espalharam pelo país; 30 pessoas foram detidas
-Publicidade-
Um grupo criminoso entrou em confronto com a polícia, segundo o governo chileno
Um grupo criminoso entrou em confronto com a polícia, segundo o governo chileno | Foto: Javier Torres/AFP

Milhares de pessoas se reuniram na segunda-feira 18, em várias cidades do Chile, para comemorar o segundo aniversário dos protestos por mais justiça social, que impulsionaram a redação de uma nova Constituição.

Segundo a Polícia Metropolitana, foram 50 atos convocados em diferentes cidades do país. Na capital, Santiago, de acordo com a corporação, cerca de 10 mil pessoas caminharam rumo à Praça Itália, no centro, batizada pelos manifestantes de Praça Dignidade, epicentro da convulsão social de outubro de 2019, que deixou mais de 30 mortos.

-Publicidade-

Entre os manifestantes, um grupo criminoso atacou bens públicos e privados, saqueou lojas e entrou em confronto com os policias, informou o general Enrique Monrá ao jornal La Nación. Outras 30 pessoas foram detidas e cinco policiais ficaram feridos.

O governo chileno condenou os atos violentos. “Não estamos na presença de manifestantes, estamos na presença de alguns criminosos, que usam essas datas para cometer crimes, saquear, queimar, roubar, para atacar policiais, civis e propriedades públicas e privadas”, disse o ministro do Interior, Rodrigo Delgado.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. A culpa de tudo que acontece no Chile é por culpa do Sebastian Piñera. Há dois anos atrás ele se acovardou diante de um pequeno protesto e não tomou nenhuma atitude para evitar o movimento o que se tornou nas semanas seguintes. Os oportunistas da esquerda se aproveitaram de sua fragilidade e ganharam espaço diante Forças Armadas que não reagem. O resultado é que o Chile, país com os melhores índices de desenvolvimento na America Latina segue firme, ao lado Argentina, para se tornar uma nova Venezuela.
    O povo chileno é maravilhoso e os seus jovens estão sendo atraídos para uma aventura perigosa rumo ao socialismo.
    É uma pena que isso esteja acontecendo.
    Acorda Piñera, antes que seja tarde demais. Coloque o Exército nas ruas e destrua essa ameaça para tornar o Chile novamente o país maravilhoso que os brasileiros adoram visitar.

  2. Espero que Bolsonaro seja um pouco mais esperto do que esse presidente chileno e resolva logo o problema. Aproveite e implante um ESTADO DE EXCEÇÃO urgentemente, prendendo quem NÃO OBEDECER A CONSTITUIÇÃO. Quando o país estiver novamente controlável, tire o Estado de exceção e convoque eleições gerais. Talvez daqui a 50 anos. Kkkkkkkk

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.