Governo da França quer prorrogar passaporte sanitário até 2022

Certificado de vacinação contra a covid-19 é exigido para acesso a restaurantes, bares, cafés, cinemas e espaços culturais
-Publicidade-
Franceses têm ido às ruas para se manifestar contra o passaporte sanitário determinado pelo governo
Franceses têm ido às ruas para se manifestar contra o passaporte sanitário determinado pelo governo | Foto: Reprodução/Redes sociais

Apesar da série de manifestações e protestos que vêm semanalmente tomando as ruas das principais cidades do país há meses, o governo da França anunciou nesta quarta-feira, 29, que pretende estender o chamado “passaporte sanitário” pelo menos até meados de 2022.

O comprovante de vacinação contra a covid-19 é exigido no país para que as pessoas tenham acesso a restaurantes, bares, cafés, cinemas, espaços culturais e até mesmo alguns hospitais. Inicialmente, a necessidade de apresentação do certificado valeria até o dia 15 de novembro.

Leia mais: “Homem que jogou ovo em Macron é internado em clínica psiquiátrica”

-Publicidade-

“O que vamos propor ao Parlamento é manter por mais alguns meses, até o verão, a possibilidade de usar”, afirmou o porta-voz do governo do presidente Emmanuel Macron, Gabriel Attal, depois de participar de uma reunião do conselho de ministros.

Leia também: “Para vacinados com CoronaVac, França exige dose reforço da Pfizer ou Moderna”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.