-Publicidade-

Índia discute privatizar setor espacial

Expectativa é gerar até 2 mil empregos com a participação da iniciativa privada na área
Privatização do setor espacial está em discussão, mas não no Brasil | Foto: DIVULGAÇÃO/ISRO
Privatização do setor espacial está em discussão, mas não no Brasil | Foto: DIVULGAÇÃO/ISRO | índia - isro - privatizar setor espacial

Expectativa é gerar até 2 mil empregos com a participação da iniciativa privada na área

índia - isro - privatizar setor espacial
Privatização do setor espacial está em discussão, mas não no Brasil | Foto: DIVULGAÇÃO/ISRO

Enquanto que no Brasil a possibilidade de privatizar uma estatal deficitária como a EBC resulta em reclamações de movimentos, a Índia discute os empregos que devem ser gerados a partir da privatização de seu setor espacial.

Leia mais:Senado aprova novo marco do saneamento básico

O ex-chefe da Indian Space Research Organisation (ISRO), K Kasturirangan, estimou que a privatização da área possa resultar entre mil e dois mil postos de trabalho. A projeção foi feita durante evento online realizado na última sexta-feira.

Ele não foi, entretanto, o único que se mostrou animado com a possibilidade de privatizar o setor indiano. Atual presidente da ISRO, K Sivan foi pelo mesmo caminho, segundo informa o site The Times of India.

“Uma maneira eficiente”

“Precisamos adquirir parte da economia espacial no mundo, o que exige uma maneira eficiente de fazer isso”, disse Sivan. “A ISRO não pode estar com todo esse foco”, complementou.

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES:O difícil caminho das privatizações” – entrevista com Salim Mattar publicada na 14ª edição da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês