Irã diz que 50 policiais morreram desde início de protestos

Foi a primeira vez, em dois meses, que autoridades iranianas divulgaram número de mortos
-Publicidade-
Protestos começaram há dois meses, depois da morte de jovem presa por não usar véu islâmico | Foto: Reprodução/YouTube
Protestos começaram há dois meses, depois da morte de jovem presa por não usar véu islâmico | Foto: Reprodução/YouTube

Cerca de 50 policiais foram mortos nos protestos que tomaram conta do Irã desde setembro, segundo informou nesta quinta-feira, 24, o vice-ministro das Relações Exteriores do Irã, Ali Bagheri Kani. Foi a primeira vez que o governo divulgou o número oficial de policiais mortos.

“Cerca de 50 policiais foram mortos durante os protestos e centenas ficaram feridos”, disse Kani, que também é o principal negociador nuclear do Irã, em entrevista à televisão indiana.

O número de manifestantes mortos, no entanto, não foi informado. A Organização das Nações Unidas (ONU) afirma que mais de 300 pessoas foram mortas.

-Publicidade-

Os protestos começaram em depois que a jovem Mahsa Amini, de 22 anos, morreu na prisão, em 16 de setembro. Ela tinha sido detida por usar o véu islâmico de maneira inadequada. Autoridades dizem que ela passou mal na prisão. A família, no entanto, diz que foi assassinada.

Nos últimos dias, a intensidade dos protestos aumentou e também os confrontos entre manifestantes e policiais. As forças de segurança intensificaram a repressão em áreas curdas.

O chefe de direitos humanos da ONU, Volker Turk, disse nesta quinta-feira que o Irã enfrenta uma “crise de direitos humanos”, com 14 mil pessoas presas até agora, incluindo crianças. A ONU estuda a criação de uma missão para apuração de fatos.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.