Pacientes curados que testaram positivo assustam a Coreia do Sul

A Coreia do Sul procura desesperadamente entender o porquê de pacientes já curados do coronavírus testarem positivo dias depois.
-Publicidade-
Paciente com coronavírus em um hospital de Busan, na Coreia do Sul
Foto: Busan Metropolitan City/Wikimedia
Paciente com coronavírus em um hospital de Busan, na Coreia do Sul Foto: Busan Metropolitan City/Wikimedia | Paciente com coronavírus em um hospital de Busan, na Coreia do Sul

Especialistas afirmam que podem ser necessários mais testes para liberar alguém da quarentena por  coronavírus

Paciente com coronavírus em um hospital de Busan, na Coreia do Sul
Paciente com coronavírus em hospital de Busan, na Coreia do Sul
Foto: Busan Metropolitan City/Wikimedia
-Publicidade-

A Coreia do Sul procura desesperadamente entender o porquê de pacientes já curados do coronavírus terem testado positivo dias depois. A questão levanta questionamento entre os cientistas sobre a pandemia do coronavírus.

O Centro de Controle de Doenças do país asiático está estudando 51 pessoas em Daegu, cidade onde a pandemia se mostrou mais severa, que receberam resultado positivo quando submetidas a novo teste após aparentarem estar curadas.

Espera-se um relatório inicial para a próxima semana, mas já foi adiantado que as autoridades não acreditam que os pacientes tenham sido reinfectados ou que continuaram infectados.

“Dizemos que um paciente está curado se seu teste resulta negativo por duas vezes em 24 horas. O fato de que algumas pessoas testem novamente positivo após um curto período significa que o vírus continua no organismo por mais tempo que a gente imaginava”, afirmou Son Young-rae, porta-voz do Ministério da Saúde e do Bem-Estar, ao jornal Financial Times.

Os testes aconteceram entre dois dias e duas semanas depois de os pacientes receberem alta. Alguns apresentaram sintomas, como febre e dificuldade de respiração, mas a maioria estava assintomática, de acordo com as autoridades.

Para o imunologista e diretor-geral do Instituto Internacional da Vacina, Jerome Kim, ainda não existe  um entendimento definitivo sobre o coronavírus e talvez mudanças no processo de recuperação de pacientes devam ser feitas.

“Frequentemente, quando infecções estão em andamento, temos resultados intermitentes entre positivo e negativo, em geral no limite do que pode ser detectado. Talvez o governo precise verificar os dados e realizar mais testes ao longo de uma semana”, disse Kim.

Nos últimos dois meses, a Coreia do Sul conseguiu controlar a pandemia, com testes em massa, políticas de distanciamento social e de rastreio de doentes. Nesta sexta-feira, o país confirmou apenas 27 novos casos, o menor número em mais de um mês.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site