Paquistão aprova lei que prevê castração química de estupradores

A proposta permite que abusadores reincidentes possam ser punidos pelo crime
-Publicidade-
O Congresso do Paquistão aprovou a nova legislação
O Congresso do Paquistão aprovou a nova legislação | Foto: Reprodução/Twitter

O Congresso do Paquistão aprovou na quarta-feira 17, uma nova legislação sobre estupro. A lei permite a castração química de abusadores reincidentes.

A proposta também prevê que o governo estabeleça tribunais especiais para esse crime em todo o país, na tentativa de acelerar os julgamentos de abuso sexual. Sentenças devem ser emitidas, preferencialmente, em até quatro meses. Em casos de estupro coletivo, culpados serão condenados à morte ou prisão perpétua.

A medida, que ainda será encaminhada para a sanção do presidente Arif Alvi, gera polêmica desde setembro de 2020. Em dezembro, a Anistia Internacional defendeu em comunicado que a pena de castração química é “cruel e desumana” e não resolve a questão.

-Publicidade-
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Duvido que não resolva a situação, o cara vai pensar várias vezes antes de fazer a mer**, enquanto aqui os estupradores são coitadinhos, vítimas da sociedade, meu Deus!!!!!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.