Polônia acusa Belarus de ‘mudar de tática’ em relação a imigrantes

'Grupos menores de pessoas estão tentando cruzar a fronteira em muitos lugares', disse o ministro da Defesa polonês
-Publicidade-
Presidente de Belarus, Aleksandr Lukashenko | Foto: Belarus.by
Presidente de Belarus, Aleksandr Lukashenko | Foto: Belarus.by

A Polônia informou neste sábado, 20, que o governo de Belarus (país europeu também conhecido como Bielorrússia e que não integra a União Europeia) mudou de tática na crise que ocorre na fronteira.

“Grupos menores de pessoas estão tentando cruzar a fronteira em muitos lugares”, disse o ministro da Defesa polonês, Mariusz Błaszczak. Ele acrescentou que “não há dúvida de que esses ataques são dirigidos por serviços bielorrussos”.

-Publicidade-

Embora haja sinais de que a crise está diminuindo, o ministro disse esperar que a situação na fronteira persista: “Temos que nos preparar para o fato de que esse problema continuará por meses. Não tenho dúvidas de que esse será o caso”.

Os guardas de fronteira poloneses relataram novas tentativas de travessia por vários grupos compostos principalmente por dezenas de pessoas, embora houvesse uma multidão de 200 pessoas jogando pedras e usando gás lacrimogêneo.

Países ocidentais acusam Belarus de criar artificialmente a crise ao trazer pessoas — principalmente do Oriente Médio — e levá-las à fronteira com a promessa de uma passagem fácil para a União Europeia. O país nega e critica o bloco por não aceitar os imigrantes.

Ajuda a imigrantes

O presidente de Belarus, Alexander Lukashenko, disse à BBC na sexta-feira 19 que é “absolutamente possível” que suas forças tenham ajudado as pessoas a entrar na UE, mas negaram ter orquestrado a operação.

“Somos eslavos. Nós temos corações. Nossas tropas sabem que os imigrantes estão indo para a Alemanha. Talvez alguém os tenha ajudado”, disse ele, que continuou: “Mas eu não os convidei aqui”.

Houve indicações nesta semana de que a crise estava diminuindo depois que várias centenas de pessoas foram repatriadas para o Iraque, enquanto outras 2 mil deixaram um acampamento improvisado na fronteira para um armazém próximo.

Muitas das pessoas que esperam chegar à UE gastam milhares de dólares para voar para Belarus com vistos de turista, com a esperança de cruzar a fronteira.

Conselho Europeu

Na sexta-feira, a comissária europeia de Direitos Humanos, Dunja Mijatović, chamou a situação humanitária ao longo da fronteira de “alarmante” e exigiu o fim do controverso retorno de imigrantes à Belarus.

“Eu pessoalmente tenho ouvido os relatos terríveis de extremo sofrimento de pessoas desesperadas que passaram semanas ou mesmo meses em condições precárias e extremas na floresta fria e úmida devido a essas resistências”, disse ela.

Segundo o jornal britânico The Guardian, mães polonesas planejaram uma manifestação pelos direitos dos imigrantes no sábado, na cidade oriental de Hajnówka.

A mídia polonesa noticiou que pelo menos 11 pessoas morreram desde o início da crise no verão. A Polônia realizou o enterro de um adolescente sírio que se afogou no rio Bug, na fronteira. Dois outros funerais estão planejados para o fim de semana.

Lukashenko

Alexander Lukashenko ocupa o poder em Belarus desde 1994, mas sua reeleição à Presidência, no ano passado, foi envolta em acusações de fraude e não foi reconhecida pela UE, que impôs sanções ao país leste-europeu.

Milhares de manifestantes e ativistas de oposição foram detidos por tropas do governo após protestos em massa.

A UE acusa Lukashenko — que é próximo ao presidente da Rússia, Vladimir Putin – de adotar uma “abordagem desumana e mafiosa” em sua liderança de Belarus.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.