Revista Oeste - Eleições 2022

Pró-aborto, presidente da Câmara dos EUA recebe comunhão no Vaticano

Deputada Nancy Pelosi havia sido proibida de comungar em igrejas de sua cidade, São Francisco, em razão do ativismo
-Publicidade-
Nancy Pelosi prometeu lutar no Congresso contra reversão de lei do aborto
Nancy Pelosi prometeu lutar no Congresso contra reversão de lei do aborto | Foto: Flickr

Simpática à causa do direito do aborto nos Estados Unidos, Nancy Pelosi, atual presidente da Câmara, recebeu a comunhão, durante missa nesta quarta-feira, 29, no Vaticano. Segundo a agência de notícias Associated Press, a deputada do Estado da Califórnia foi recebida pelo papa Francisco antes da celebração e recebeu uma benção.

Em maio, a deputada do Partido Democrata havia sido proibida de comungar em igrejas da sua cidade, São Francisco, em decisão do arcebispo local, Salvatore Cordileone. Em carta, o religioso explicou a medida em razão do apoio público de Pelosi à causa do aborto, argumentando que o ativismo é incompatível com a rotina católica.

Pelosi criticou nos últimos dias a reversão do entendimento federal sobre o direito ao aborto, anunciado pela Suprema Corte do país em 24 de junho. A presidente da Câmara se referiu à decisão como “cruel” e deu sinais de que estava preparando uma reação no Congresso para tentar modificar a decisão.

Como fica o aborto nos EUA

A Suprema Corte dos EUA decidiu reverter a legislação do país referente ao direito ao aborto em âmbito federal. O principal tribunal do país endossou uma lei do Estado do Mississippi que proíbe o aborto depois de 15 semanas de gravidez, impactando o cenário de saúde reprodutiva do país.

Com a anulação da lei de 1973, conhecida como Roe vs. Wade, agora a legalidade do aborto vai ficar sob responsabilidade dos Estados, que já vinham se preparando nas últimas semanas para adaptar a questão conforme entendimento local.

A revisão da lei acontece em um raro momento de maioria conservadora na composição da Suprema Corte, depois que o ex-presidente Donald Trump indiciou três membros para o tribunal durante o seu mandato. Dois deles sucederam a juízes publicamente simpáticos ao direito ao aborto.

A intenção de revisão da lei sobre o direito ao aborto vazou da Suprema Corte no começo de maio. Desde então, o debate esquentou no país, com constantes protestos nas ruas, envolvendo simpatizantes das duas partes.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

12 comentários Ver comentários

  1. Se o Papa tem vaga garantida no céu por ser um comunista, que se cala diante de parlamentares pró aborto e ainda os comunga, recebe governantes tiranos, creio q nós em vida já estamos no céu.

  2. Isso é uma afronta a nós católicos.papa Francisco esquerdista sem escrúpulo algum .pra min não o considero mais . Mas pra quem já recebeu o chefe MST Stedile .vai se esperar o que

  3. Essa é outra raposa que adora um galinheiro. Uma velha caquética, desonesta (comprou uma casinha na Flórida por apenas US$14 milhões para fugir das altas taxas vigentes no estado em que ela mora, a Califórnia). Em novembro, o “reinado”dela termina porque os demoCRAPS sofrerão a maior derrota da história.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.