Sem concorrentes, Tedros Adhanom é reeleito diretor da OMS

Ele disputou o pleito sozinho e terá mais cinco anos de cargo no órgão
-Publicidade-
Tedros Adhanom terá cinco anos para tentar reconstruir a confiança na OMS
Tedros Adhanom terá cinco anos para tentar reconstruir a confiança na OMS | Foto: Reprodução/Flickr

Tedros Adhanom Ghebreyesus foi reeleito diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS). Ele venceu o pleito após a eleição não ter tido outro candidato e terá mais cinco anos de cargo no órgão.

Tedros tem a difícil tarefa de reconstruir a confiança na OMS, depois que críticos a acusaram de administrar mal a resposta à pandemia de covid-19, especialmente os Estados Unidos, durante a Presidência de Donald Trump.

O diretor-geral também quebrou a tradição da organização já que sua candidatura não teve respaldo de sua terra natal, a Etiópia.

-Publicidade-

A OMS também está lidando com a incerteza em torno de suas finanças. Uma proposta atualmente em discussão na Assembleia Mundial da Saúde, em Genebra, na Suíça, visa a tornar os compromissos financeiros dos Estados membros mais vinculativos. A sua aprovação está prevista para esta semana.

Leia também: “Precisamos falar sobre a OMS”, texto publicado na edição 3 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.