Sob pressão da China, dona da 99 vai fechar capital nos EUA

Decisão acontece menos de seis meses depois da oferta de ações que levantou US$ 4,4 bilhões e atraiu a ira de Pequim
-Publicidade-
A Didi listou suas ações em Nova Iorque em 30 de junho e agora vai para Hong Kong
A Didi listou suas ações em Nova Iorque em 30 de junho e agora vai para Hong Kong | Foto: Reprodução

O gigante chinês de compartilhamento de carros Didi Global, dona da 99 — aplicativo de transportes —, anunciou, nesta sexta-feira, 3, que fechará capital na Bolsa de Nova Iorque, nos Estados Unidos.

A decisão acontece menos de seis meses depois de uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) em Wall Street que atraiu a ira do Partido Comunista da China.

A empresa passará a listar suas ações em Hong Kong. Em publicação em uma rede social, a Didi Global informou que a decisão foi tomada após “cuidadosa análise”.

-Publicidade-

A companhia não forneceu detalhes de como os planos serão concretizados. Uma opção seria, primeiro, garantir uma listagem em outro lugar, enquanto outra rota seria buscar um acordo que compraria as ações detidas por investidores públicos — uma transação que exigiria bilhões de dólares de financiamento, dada sua capitalização de mercado.

A Didi revelou que solicitará a retirada de suas ações depositárias americanas em Nova Iorque, ao mesmo tempo em que garante que sejam conversíveis em papéis que possam ser negociadas livremente em outra bolsa de valores internacional. Uma assembleia de acionistas será organizada para tratar do fechamento de capital.

A Didi listou suas ações em Nova Iorque em 30 de junho depois de levantar cerca de US$ 4,4 bilhões em um IPO. Logo em seguida, as autoridades chinesas, surpreendidas com a decisão, disseram que estavam conduzindo uma análise de segurança de dados.

Os reguladores chineses também impediram que os negócios de Didi na China adicionassem novos usuários e ordenaram que alguns aplicativos fossem desativados. O governo chinês alegou que a Didi infringia as leis de privacidade e representava riscos à segurança cibernética.

Leia também: “‘A mídia brasileira não tem interesse em falar a verdade sobre a China'”, reportagem de Paula Leal publicada na edição 88 da Revista Oeste

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.