Tratado de proibição de armas nucleares entra em vigor

O pacto internacional foi ratificado por 51 países, embora nenhum seja potência nuclear
-Publicidade-
Tratado de proibição de armas nucleares entra em vigor
Tratado de proibição de armas nucleares entra em vigor | Foto: Reprodução/Flickr

O primeiro tratado para banir as armas nucleares entrou em vigor ontem, sexta-feira 22. O pacto internacional foi ratificado por 51 países, embora nenhum seja potência nuclear. O Brasil não foi signatário do documento, assim como a Alemanha, que hospeda ogivas nucleares norte-americanas.

O Tratado da Organização das Nações Unidas sobre a Proibição de Armas Nucleares desautoriza a produção, o armazenamento, a venda e o uso desse tipo de armamento. A Campanha Internacional para a Abolição de Armas Nucleares (Ican, na sigla em inglês), que recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 2017, considera a iniciativa um “marco”.

“Agora haverá muito mais pressão sobre as potências nucleares para finalmente cumprirem suas antigas promessas de desarmamento”, diz Leo Hoffmann-Axthelm, representante da Ican em Bruxelas, em entrevista à DW.

-Publicidade-

Leia também: “Ministro promete investimento em energia nuclear”

Com informações do Poder360

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. O Brasil precisa romper e não assinar esse tratado. Enquanto não possuirmos armamento nuclear não seremos considerados potências mundiais e ficaremos vendo um monte de gente cantando de galo conosco querendo se meter na Amazônia. O armamento nuclear não é para se usar, mas para que se evite guerras. Vejam se alguém se mete com a Rússia, Índia e Paquistão.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.