Ucrânia está preparada para guerra contra Rússia, diz presidente

Volodymyr Zelensky acusa governo de Vladimir Putin de mobilizar mais de 90 mil soldados perto da fronteira
-Publicidade-
Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia, subiu o tom contra a Rússia
Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia, subiu o tom contra a Rússia | Foto: Reprodução

A Ucrânia está “completamente preparada” para responder à escalada militar da Rússia, até mesmo para uma eventual guerra com o país comandado por Vladimir Putin. A afirmação é do presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, e foi feita nesta sexta-feira, 26.

Segundo o governo da Ucrânia, os russos têm mobilizado tropas perto da fronteira nos últimos dias. Como noticiado por Oeste, os Estados Unidos teriam alertado sobre uma possível invasão do território ucraniano.

A operação poderia acontecer no começo de 2022, elevando a tensão entre os dois países. A informação foi passada pela Inteligência americana e teria vazado à agência de notícias Bloomberg, que publicou uma reportagem na segunda-feira 22.

-Publicidade-

“Há uma ameaça hoje de que pode acontecer uma guerra amanhã. Estamos completamente preparados para isso”, afirmou Zelensky.

Ainda segundo o líder da Ucrânia, teria sido descoberto um plano, com participação dos russos, para uma tentativa de golpe contra seu governo. O objetivo seria derrubá-lo “na próxima semana”.

No domingo 21, o diretor do serviço de Inteligência do Exército ucraniano, Kyrylo Budanov, disse que a Rússia concentrou mais de 90 mil soldados perto da fronteira com o país. Segundo ele, a ofensiva aconteceria em janeiro ou fevereiro, com ataques aéreos e terrestres.

Tensão aumenta

A tensão entre a Rússia e a Ucrânia se estende desde 2014, quando os russos tomaram a Crimeia, e vem ganhando força com a repentina concentração militar russa nas proximidades da fronteira com o país vizinho.

O interesse de Moscou na Ucrânia se deve a uma série de fatores. O país domina o Mar Negro, região estratégica do ponto de vista político-geográfico, e tem a base naval de Sebastopol, a única capaz de acolher e dar logística à completa frota de navios da Rússia no Mar Negro.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Posicionar 90 mil soldados próximo à fronteira de um país, vale por uma declaração de guerra. Pela grandeza desse aparato militar, o objetivo é invadir e ocupar. E isso não vai acontecer em janeiro ou fevereiro. O custo material e humano dessa espera de meses, com todo esse aparato estacionado durante o inverno, seria muito alto. Essa invasão, se é que vai acontecer, será em alguns dias.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.